Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Mini-satélite português no espaço

 

 

 

O minissatélite construído pelos alunos da Escola Básica e Secundária de Vila do Porto, em Santa Maria, Açores, que representará Portugal numa competição promovida pela Agência Espacial Europeia (ESA), está concluído para ser lançado na terça-feira, na Noruega.

 

O coordenador do projeto, Ruan Nolasco, adiantou à Lusa que o satélite, similar a uma lata de refrigerantes "está concluído" e "serão apenas realizados testes de verificação" até quinta-feira, dia em que os cinco alunos do 11º ano de escolaridade e dois professores partem dos Açores para Lisboa, de onde vão sair na sexta rumo à base de lançamento, na ilha de Andoya.

 

Esta equipa é uma das 14 equipas europeias selecionadas para construir um minissatélite, numa iniciativa da ESA que pretende oferecer aos jovens uma oportunidade única de participarem num projeto espacial verdadeiro.

 

Ruan Nolasco, um dos dois professores que integram a equipa açoriana, acrescentou que "a competição começa no próximo domingo, seguindo-se na segunda-feira a apresentação do projeto, ao júri, em inglês, enquanto que o lançamento do satélite vai ocorrer na terça-feira, na ilha de Andoya".

 

O minissatélite açoriano será colocado a bordo de um foguete para ser lançado de uma altitude de 1.000 metros, acrescentou.

O coordenador do projeto sublinhou que os alunos "estão muito entusiasmados, apesar de um pouco cansados, uma vez que aproveitaram todos os dias das férias de Páscoa para ultimarem a construção" do satélite.

 

O projeto da equipa portuguesa, denominado 'Azorean Shearwater' ('Cagarro Açoriano'), vai competir com o de equipas da Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Holanda, Suécia, França, Grécia, Roménia, Espanha, Itália e Reino Unido.

 

Similar a uma lata de refrigerantes, a estrutura do satélite foi "reforçada com um tubo de inox" e o projeto da escola açoriana propõe-se a "medir valores da temperatura e pressão e elaborar um cálculo da altitude durante a descida, além de tirar fotos e georreferenciar essas fotografias através de um módulo GPS".

 

"A classificação final é comunicada dia 25", próxima quarta-feira, explicou Ruan Nolasco.

 

(in Diário de Notícias)

1 comentário

Comentar post