Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Os lusos a prosperarem

A empresa portuguesa Active Space Technologies está a desenvolver um sistema de controlo e monitorização de asas de helicóptero. Apoiado pela Comissão Europeia, o trabalho poderá traduzir-se em ganhos ecológicos e diminuição de custos.
 
Segundo a Agência Lusa, o projeto tem duração prevista de 32 meses e resulta do investimento de cerca de 300 mil euros. O montante destina-se à criação de um atuador na asa do helicóptero, a par de um sistema ‘wireless’ (sem fios).
 
A empresa portuguesa com sede em Coimbra pretende, com esta iniciativa, diminuir a rotação da asa, através do atuador, sem que tal prejudique o desempenho do helicóptero. Desta forma, o consumo de combustível será menor, tal como a necessidade de manutenção, o que conduz a uma redução dos gastos.
 
De acordo com Ricardo Patrício, responsável técnico da Active Space Technologies (AST), a empresa vai, ainda, apostar em sensores e tecnologias que possibilitem a monitorização automática de componentes críticos, recorrendo ao sistema ‘wireless’. Assim “podem relaxar-se os intervalos de inspeção, reduzindo os custos da operação”, sublinha.
 
O controlador a desenvolver pela empresa portuguesa será testado pela fabricante de helicópteros Agusta Westland em várias asas num túnel de vento. Em caso de aprovação, o modelo prosseguirá para fabrico e experiências reais em helicópteros.
 
A AST, fundada em 2004, esteve sempre orientada para a conceção de sistemas eletromecânicos com componentes tanto de engenharia mecânica como de engenharia eletrónica. Atualmente, possui um centro técnico na Alemanha e uma representação comercial na Holanda.

 

(in Boas Noticias)