Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Índia também vai para Marte

 O primeiro-ministro da Índia anunciou no passado dia 15, uma missão espacial a Marte para 2013, o que, segundo Manmoham Singh, representa um grande passo em frente para a ciência e tecnologia do país. 

 

“Recentemente, o gabinete aprovou a Missão de Órbita a Marte. Nesta missão, a nossa nave vai até perto de Marte e vai recolher informação científica importante”, disse Manmoham Singh nesta quarta-feira, numa declaração à nação a partir do Forte Vermelho, no dia em que a Índia comemora 66 anos de independência.

“Esta nave que vai até Marte vai ser um enorme passo para nossa ciência e tecnologia”, disse o primeiro-ministro, citado pelo jornal The Hindu.

O lançamento da sonda está marcado para Novembro de 2013. Se a Organização de Investigação Espacial da Índia (ISRO) não conseguir lançar o aparelho nesta janela de tempo o projecto ficará adiado para 2016 ou 2018. A missão terá um custo de 4500 milhões de rupias indianas, o equivalente a 65,8 milhões de euros.

Em 2008, esta potência asiática lançou com sucesso um satélite para orbitar a Lua. Se este novo projecto se concretizar, a Índia conseguirá algo que a China e o Japão já tentaram – enviar uma sonda a Marte – mas cujas missões tiveram de ser abortadas.

A sonda será lançada pelo foguetão Polar Satellite Launch Vehicle e terá 25 quilos de carga científica. Em comparação, o Curiosity, a carga científica do rover da NASA que aterrou em Marte a 6 de Agosto, tem três vezes mais de peso.

 

(in Público)

 

 

1 comentário

Comentar post