Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Obama ganhou. E agora?

 

 

Depois de Barack Obama ter ganho as eleições ficou garantida que durante os próximos 4 anos a política espacial americana não deverá sofrer grandes alterações.

 

A NASA irá continuar a enfrentar pressões orçamentais enquanto os EUA se debatem para reduzir o seu défice público. Contudo, prevê-se que a NASA continue a trabalhar nos objectivos já definidos: conseguir colocar um astronauta num asteroide até 2025, Marte em 2030. Para isso, a NASA deverá continuar a trabalhar no SLS (Space Lauch System) que terá uma capsula acoplada chamada Orion, que deverá começar transportar astronautas até 2021.

 

A Administração Obama encorajou a NASA a entregar as viagem em torno da órbita terrestre a empresas privadas americanas. Prova disso foi o transporte para a Estação Espacial Internacional realizado há umas semanas pela Space X. O Objectivo será ter duas empresas privadas a fazer este tipo de lançamentos até 2017. Até lá, os EUA dependerão também do Soyuz russo para transportar astronautas para e da Estação Espacial Internacional.

 

Antes da primeira eleição de Obama, a NASA estava a trabalhar para enviar novamente astronautas à Lua, num programa criado pela administração Bush - o Constellation. Obama cancelou este programa depois de um painel ter concluido que a derrapagem financeira era gigantesca e que  os trabalhos estariam bastante atrasados.  Contudo, Lori Garver, uma chefia da NASA afirmou em Setembro que: "Nós vamos voltar à Lua, na primeira tentativa de transportar humanos até um asteróide e iremos activamente desenvolver um plano para levar americanos até Marte".

 

As próximas semanas e com as decisões que o Congresso terá que tomar até ao final do ano em matéria de política espacial, dirá se os planos espaciais americanos se irão manter ou não. Resta-nos esperar e ver o que os próximos meses nos trarão nesta área!