Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Brasil perdeu um satélite

 

Ilustração de um satélite da série CBERS na órbita da Terra: lançamento tapa lacuna de quase 4 anos na capacidade do Brasil de produzir imagens da Terra desde o espaçoFoto: Divulgação/Inpe

 

 

Ilustração de um satélite da série CBERS na órbita da Terra

Divulgação/Inpe

 

O satélite Cbers-3 que ia a bordo de uma nave chinesa perdeu-se completamente na explosão verificada no lançador chinês.

 

Na minha opinião este incidente reflecte, infelizmente, a história do programa espacial brasileiro: muito boa vontade e motivação, mas incapacidade de concluir algo com sucesso. O Brasil apresenta um problema grave que sem o colmatar andará sempre a "reboque" de outros que é a falta de mão de obra especializada e um sector espacial consolidado.

 

Aquilo que temos assistido nas parcerias com a China é que a transferência de know how e tecnologia para o Brasil têm sido quase nulas. O Brasil celebrou algumas parcerias com centros de investigaçao e universidades europeias (já reportadas no Astropolitica). Contudo, o Brasil precisa de ir mais longe! Precisa de celebrar parcerias e cativar empresas na área espacial. Por exemplo, com empresas portuguesas porque têm a vantagem de ter a língua em comum além de parcerias governamentais já existentes que poderão facilitar a que sejam abertas filiais ou constituidos consórcios entre empresas brasileiras e portuguesas.  Aí sim, o tecido empresarial brasileiro poderá começar a formar-se de forma sólida e a ocorrer transmissão de know-how para o Brasil.

 

Poderão ler mais sobre o acidente com o satélite brasileiro e o lançador chinês aqui e aqui.