Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Espaço em Lisboa: começa hoje!

Novembro 28, 2013

Vera Gomes

 

 




No Espaço mas de olhos postos na Terra, os satélites europeus observam a cada instante as nuvens, os oceanos e os continentes ou permitem-nos conhecer com rigor a nossa localização. Mais de 30 mil aplicações são hoje usadas para optimizar os transportes, aumentar a eficiência na agricultura e nas pescas, proteger o ambiente e melhorar a nossa segurança.

A European Space Expo, patente no Terreiro do Paço já a partir de amanhã, 28 de Novembro, revela ao público de que forma as tecnologias espaciais têm um impacto directo nas nossas vidas.

Esta é uma exposição da Comissão Europeia que em Portugal tem como parceiros a Ciência Viva, a Fundação para a Ciência e Tecnologia, a Câmara Municipal de Lisboa, o Planetário Calouste Gulbenkian Centro Ciência Viva e o Turismo de Lisboa.
Visitantes de todas as idades poderão conhecer e experimentar a enorme variedade de aplicações das tecnologias espaciais de uma forma directa e interactiva. A entrada é gratuita.

Horário: Seg - Sex, das 09.00 às 19.00. Fins-de-semana: das 10.00 às 22.00.

Durante a permanência da exposição em Lisboa, os parceiros organizam um programa de eventos para diferentes públicos. A Ciência Viva promove as seguintes iniciativas:


29 de Novembro, sexta-feira, 16.00 às 17.30, Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva

Os investigadores Manuel Paiva e Carlos Fiolhais debatem com o público O Espaço e a Cultura Científica, a propósito da reedição do livro Como Respiram os Astronautas, da Colecção Ciência Aberta da Gradiva. A entrada é livre.

Manuel Paiva é professor honorário de Física da Universidade Livre de Bruxelas, onde foi director do Laboratório de Física Biomédica. Participou em dez missões espaciais da NASA e da ESA, três das quais como investigador principal.

Carlos Fiolhais é professor catedrático de Física na Universidade de Coimbra. É o cientista português com o artigo mais citado. Actualmente é editor da colecção Ciência Aberta da editora Gradiva.



7 de Dezembro, Sábado, 16.00, Cinema S. Jorge, Lisboa

Conferência de Natal Seis meses fora deste Mundo!, pelo astronauta Paolo Nespoli.

O astronauta europeu partilha o que aprendeu sobre a Terra, a vida e sobre si mesmo durante os seis meses que passou a bordo da Estação Espacial Internacional.

Esta é uma conferência para todos os públicos, com entrada livre e tradução simultânea. A conferência é organizada pela Ciência Viva e tem o apoio da Agência Espacial Europeia (ESA), da Comissão Europeia, da Câmara Municipal de Lisboa e da EGEAC.

Porquê a Lua e como?

Novembro 28, 2013

Vera Gomes

 

 

 



A base lunar é o próximo passo para a migração humana para o espaço, escreve Hayn Benaroya, professor de aeronáutica e engenharia mecânica, na Universidade Rutgers, num artigo de opinião na Space News. Para o autor, a Lua é um passo com menos risco do que Marte. Além disso, os recursos lunares ajudarão a apoiar o investimento.


Podem ler o artigo completo aqui.

 

Como podemos saber o que foi lançado para o espaço exterior, e quem é responsável por isso?

Novembro 27, 2013

Vera Gomes




Desde 1962 que as Nações Unidas mantêm um registro de lançamentos, de acordo com a Resolução n.º 1721 B(XVI) da Assembleia Geral.


A informação contida nele é fornecida numa base voluntária pelos Estados-Membros e também emitido em documentos das Nações Unidas na série A/AC.105/INF.


Além disso, a Convenção de Registro, de 1976, obriga os Estados Partes a manter um registro apropriado de objetos do espaço que lancem para o espaço exterior, e ainda a transmitir determinadas informações sobre cada objeto espacialque conste nos seus registros ao Secretário-Geral das Nações Unidas.


O Secretariado das Nações Unidas mantém um segundo registo em que esta informação é gravada e para o qual existe um acesso pleno e aberto. Além da ONU, várias agências espaciais e organizações ao redor do monitor de mundo, registram e rastreiam objetos lançados no espaço exterior.

Parabéns European Space Policy Institute

Novembro 26, 2013

Vera Gomes

 

 

 



26 de novembro de 2013 . É hoje! 10 anos desde que os documentos fundadores do ESPI foram assinados pelo Ministério austríaco dos Transportes, Inovação e Tecnologia, da Agência de Promoção de Pesquisas da Áustria e da Agência Espacial Europeia. Dois anos mais tarde, as instalações da ESPI foram inauguradas, e desde então tem ESPI trabalhado e divulgado pesquisa em política espacial, eventos e apresentações.


Nestes 10 anos, o ESPI publicou 46 relatórios, anuários 5 ( número 6 será publicado antes do final do ano ), 9 livros e 67 Perspectivas. ESPI também foi o anfitrião de uma miríade de eventos e conferências, e representantes do ESPI têm surgido muitas vezes em fóruns de política como oradores.

 

Podem ver o site do ESPI aqui e saber mais sobre o trabalho que lá é desenvolvido.

Trabalhar na indústria espacial

Novembro 26, 2013

Vera Gomes

 

 

 

Trabalhar na indústria espacial é mesmo algo do outro mundo. Três jovens engenheiros com um trabalho de outra galáxia representam uma nova geração de profissionais e já transformaram o sonho de trabalhar no espaço, numa carreira na Terra.

Abbie Hutty é Engenheira de estruturas: "Adoro trabalhar na missão Mars Rover. Porque é fixe. Acho que a maior parte das pessoas concorda, que trabalhar numa missão, que finalmente vai acontecer e vai a Marte é muito fixe."

Já Marc Costa Sitjà, Engenheiro de operações Científicas na Agência Espacial Europeia acredita que: "O melhor deste trabalho é que estamos a conduzir um veículo espacial que está noutro planeta, não pode ser mais fixe."

Maria Komu, investigadora no Centro Meteorológico Finlandês conta que: "Há cinco anos o meu maior sonho era tocar nalguma coisa que fosse para o espaço. E agora estou a trabalhar com os instrumentos que vão para o espaço, é inacreditável! No Instituto Meteorológico da Finlândia fazemos previsões meteorológicas e todo o tipo de investigação. Investigação no Ártico investigação marinha e investigação do clima espacial."

Tanto Maria, como Abbie e Marc já têm responsabilidades importantes. Maria trabalha num mini-satélite finlandês e nos instrumentos meteorológicos para a ExoMars, a missão da Agência Espacial Europeia. Abbie está a desenvolver a estrutura do ExoMars Rover e Marc planeia a operação do satélite Venus Express. A ideia de explorar o nosso sistema solar foi a inspiração para os três cadetes.

Todos estes recrutas espaciais possuem mestrados. Maria está também a fazer um doutoramento. Aos vinte e poucos anos, dão os primeiros passos na carreira e aprendem na prática. A preparação de uma missão a Marte e a construção de satélites, rovers ou estações meteorológica exige formação, conhecimento e dedicação. A todas estas características junta-se uma grande dose de entusiasmo que faz desta profissão algo muito "fixe".

European Space Expo em Lisboa

Novembro 25, 2013

Vera Gomes

 

 

Um projecto da Comissão Europeia que tem como objectivo mostrar como o Espaço e respectivas aplicações trazem benefícios aos cidadãos europeus.

 

A exposição destaca, também, o papel crucial da União Europeia em matéria de Espaço e tecnologias dele derivadas. Nesta exposição podemos ficar a conhecer melhor vários programas espaciais europeus, como é o caso dos satélites de navegação Galileo e EGNOS e o sistema de observação terrestre Copernicus.

 

Da exposição também faz parte um ‘OmniGlobe’ – holograma interactivo da atmosfera terrestre, um modelo do satélite ‘Galileo’ e muito mais… O objectivo da EU Space Expo é mostrar aos visitantes como é que os programas espaciais e as tecnologias que desenvolvem e produzem trazem benefícios para o nosso dia a dia na Terra e igualmente mostrar como o Espaço é importante para a economia e criação de emprego na Europa.

 

Antes de chegar a Lisboa a EU Space Expo passou pelas cidades de Copenhaga (Dinamarca), Toulouse (França), Helsínquia (Finlândia), Bruxelas (Bélgica), Viena (Áustria), Larnaca (Chipre), Londres (Reino Unido), Madrid (Espanha), Budapeste (Hungria), Hannover (Países Baixos), Varsóvia (Polónia), Bratislava (Eslováquia), Dublin (Irlanda), Roma (Itália), Vilnius (Lituânia), Tallinn (Estónia) e Munique (Alemanha). Mais cidades irão receber a exposição em 2014.

 

Estará patente na Praça do Comércio de 28 de Novembro a 9 de Dezembro. A entrada é gratuita! Durante a semana a exposição estará aberta das 9h às 19h e aos fins de semana estará aberta até às 22h. 

John F. Kennedy (1917-1963)

Novembro 22, 2013

Vera Gomes

 

 

 

 

John Fitzgerald Kennedy serviu como 35° Presidente dos Estados Unidos (1961–1963) e é considerado uma das grandes personalidades do século XX.

 

Eleito em 1960, Kennedy tornou-se no segundo mais jovem presidente do seu país, depois de Theodore Roosevelt. Ele foi Presidente de 1961 até o seu assassinato em 1963. A sua governação ficou pautada por eventos importantes como a Invasão da Baía dos Porcos, a Crise dos mísseis de Cuba, a construção do Muro de Berlim, a corrida espacial, a consolidação do Movimento dos Direitos Civis nos Estados Unidos, entre outros.

Durante a Segunda Guerra Mundial, ficou conhecido pela sua liderança como comandante do barco PT-109 na área do Pacífico Sul. Ao realizar um reconhecimento, o barco foi atingido por um contratorpedeiro japonês, que partiu o barco em dois e causou uma explosão. A tripulação responsável conseguiu nadar até uma ilha e sobreviver até serem resgatados. Essa façanha proporcionou-lhe popularidade e começou assim a sua carreira política. Kennedy representou o Estado de Massachusetts como um membro da Câmara dos Deputados a partir de 1947 até 1953 e depois como Senador de 1953 até que se tornou presidente em 1961. Com 43 anos de idade, foi o candidato presidencial do Partido Democrata nas eleições de 1960, derrotando o Republicano Richard Nixon numa das eleições mais renhidas da história presidencial do país. Kennedy foi a última pessoa a ser eleita Presidente enquanto ainda exercia um mandato como Senador, até a eleição de Barack Obama em 2008. Também foi o único católico a ser eleito Presidente dos Estados Unidos. Até a data, era o único nascido durante a Primeira Guerra Mundial e também o primeiro nascido no século XX.

 

O Presidente Kennedy morreu assassinado a 22 de novembro de 1963 em Dallas, Texas. O ex-fuzileiro naval Lee Harvey Oswald foi preso e acusado do assassinato, mas foi morto dois dias depois, por Jack Ruby e por isso não foi julgado. A Comissão Warren concluiu que Oswald agiu sozinho no assassinato. No entanto, o Comité da Câmara sobre Assassinatos descobriu em 1979 que talvez tenha havido uma conspiração em torno do acontecido. Este tópico foi debatido e há muitas teorias sobre o assassinato, visto que o crime foi um momento importante na história dos Estados Unidos devido ao seu impacto traumático na psique da nação.

 

Muitos viram em Kennedy um ícone das esperanças e aspirações americanas, e em algumas pesquisas no país ele ainda é valorizado como um dos melhores presidentes da história da nação.

Países europeus concordam em colaborar nos Drones

Novembro 22, 2013

Vera Gomes

 


Vários países europeus, incluindo a Alemanha e a França, prometeram na passada terça-feira  lançar programas conjuntos em drones, com a ambição de produzir a próxima geração de aviões não tripulados a partir de 2020 para o nível europeu .


Reunidos em Bruxelas, os ministros da Defesa já aprovaram uma série de projetos de desenvolvimento de drones MALE (altitude média, longa duração), uma das deficiências mais gritantes da indústria de defesa europeia.


O lançamento desses programas devem ser aprovados pelos Chefes de Estado e de Governo da UE durante a sua reunião de Dezembro , dedicada em parte à defesa.


" Se a Europa quiser manter a capacidade estratégica, os países precisam de mutualização de forma pragmática, das suas habilidades e das suas acções", disse o ministro francês Jean -Yves Le Drian após a reunião. Ele saudou a criação do "clube de país utilizadores de drones", que pretende colaborar na formação, certificação, logística, manutenção e desenvolvimento de aviões pilotados remotamente. Este " clube " é inicialmente formado por sete países : Alemanha, França, Espanha, Grécia, Itália, Países Baixos e Polónia .


Além disso, a Agência Europeia de Defesa (EDA) foi responsável por um programa de pesquisa conjunta sobre o desenvolvimento de drones de dupla utilização, civil e militar,  já que estas aeronaves podem ser muito úteis para a vigilância das zonas fronteiriças ou maritimas como o Mediterrâneo . A ambição dos países europeus envolvidos é a base para a produção da próxima geração DRONE MALE "a partir de 2020", segundo os documentos.


"Estas decisões, as primeiras no seio da discussão a nível europeu, querem ser muito pragmáticas e cobrir todos os aspectos. Elas mostram que, apesar dos atrasos em comparação com outros actores internacionais, os estados tal como a indústria organizam-se ", disse um funcionário europeu .


Os países europeus utilizam atualmente drones militares americanos ou israelitas, mas sem a possibilidade de obter a certificação de vôo no espaço aéreo europeu .


Três grandes grupos industriais, a EADS, a francesa Dassault Aviation e da italiana Finmeccanica (Itália), proposeram associrarem-se em Julho, prara desenvolver um conjunto de drones MALE caso os governos assim o solicitassem .


Além dos drones, os ministros sublinharam a necessidade de os europeus a trabalharem o reabastecimento em voo, uma outra lacuna observada principalmente durante o conflito na Líbia em 2011.



Parlamento Europeu dá luz verde ao Galileo para os próximos anos

Novembro 21, 2013

Vera Gomes

 

 

 

 

 

O programa para o primeiro sistema mundial de navegação por satélite da UE (GNSS) para os próximos 7 anos, foi aprovado pelo Parlamento Europeu em 20 de Novembro.
 
O GNSS será construído sob controlo civil, totalmente independente de outros sistemas de navegação e ainda assim interoperável com eles. Ambas as partes deste sistema global - Galileo e EGNOS - irão oferecer aos cidadãos uma alternativa europeia ao GPS dos Estados Unidos ou ao GLONASS da Rússia para muitas aplicações em suas vidas diárias. O relator Marian Jean Marinescu (PPE, RO) do Parlamento Europeu afirmou sobre a aprovação GNSS: " O sistema de navegação global por satélite (GNSS) hoje contribui  cerca de 7% do PIB da UE, mas o seu potencial é muito maior. O Galileo e o European Geostationary Navigation Overlay Service (EGNOS) dará à Europa os meios para construir sobre esse potencial, e ao mesmo tempo acabar com a dependência da UE em matéria de tecnologia militar GNSS estrangeira."
 
A Comissão Europeia congratulou-se com a aprovação pelo Parlamento Europeu, do financiamento e governança de dois programas europeus de navegação por satélite: o Galileo e EGNOS, para o período 2014-2020. De acordo com a Comissão, o seu orçamento total de € 7biliões e serão utilizados para a conclusão da infra-estrutura de navegação por satélite, operações de reabastecimento necessárias e actividades de substituição,  e ainda o desenvolvimento de elementos fundamentais como chipsets Galileo habilitados ou receptores e, mais importante, a prestação de serviços.
 
A responsabilidade para o progresso dos programas e a sua supervisão geral vai ficar sob égide da Comissão Europeia. No entanto, a Agência do GNSS Europeu (GSA) irá assumir gradualmente a responsabilidade pela gestão operacional dos programas, enquanto a Agência Espacial Europeia continuará a ser responsável pela implantação do Galileo, e pela concepção e desenvolvimento de nova geração de sistemas.
 
O Comissário Europeu para a Indústria, Antonio Tajani, disse sobre o GNSS: "Galileo e EGNOS são um investimento no nosso futuro ... O impacto económico global da Galileo e EGNOS é estimado em cerca de € 90 biliões ao longo dos próximos 20 anos. Além da abertura de novas oportunidades de negócio, também todos os utilizadores serao um dia capazes de desfrutar de serviços de navegação por satélite cada vez mais precisos a cada novo lançamento de satélites ".


(fonte New Europe)

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Free Delivery on all Books at the Book Depository

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Follow