Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Sugestão Leitura

Maio 30, 2014

Vera Gomes

 

 

 

 

 

 

Este está na minha lista de livros para ler. : )

 

"Martin Kemp, Professor de História de Arte na Universidade de Oxford, e uma das mais conceituadas autoridades sobre a obra de Leonardo da Vinci, oferece-nos esta bem fundamentada exploração das razões que fizeram deste génio um fenómeno tão extraordinário que ainda hoje nos inspira. Fruto de um estudo baseado não só nas obras que Da Vinci deixou mas também nos seus projectos e, sobretudo, nos seus cadernos manuscritos, Kemp mostra-nos a relação entre as obras que Leonardo deixou, as que de algum modo estão ligadas à sua oficina ou que denotam a sua intervenção, e as extraordinárias anotações feitas nos seus cadernos e faz ainda uma incursão nas metamorfoses que a recepção da obra de Da Vinci foi sofrendo ao longo dos séculos. Um volume ilustrado com inúmeros extratextos a cor."

 

Está disponível em qualquer livraria online!

A portuguesa Gracinda pode ir morar para Marte

Maio 27, 2014

Vera Gomes

Uma "selfie" para dar sorte. Foto: Gracinda Ferreira

 

 

Missão "Mars One" quer instalar uma colónia humana no "Planeta Vermelho" dentro de uma década. Há três portugueses entre os 705 pré-seleccionados. Os marcianos andam por aí há muito tempo.

 

Os marcianos andam por aí há muito tempo. "Invadiram" a Terra através da literatura, do cinema e da rádio, como na célebre transmissão da "Guerra dos Mundos", em 1938, e habitam o universo do imaginário popular. Mas agora os terráqueos contra-atacam e há portugueses metidos nisso.

 

Gracinda Ferreira, arquitecta de 34 anos, é um dos três portugueses que passou à próxima fase de selecção da “Mars One”, uma missão que pretende, apenas com financiamento privado, instalar uma colónia humana no Planeta Vermelho em 2023. Inicialmente, eram 200 mil candidatos; agora, restam 705.

 

O que faz uma arquitecta de Santa Maria da Feira querer ir morar para Marte? Gracinda Ferreira diz que gostava de poder ajudar a "criar uma colónia em algum sítio deste universo, que está como se fosse uma folha em branco, e fazê-lo de uma forma planeada, pensada e com uma noção de eficácia nunca antes conseguida."

 

A Humanidade pode também "perceber que continua a ter horizontes, que os limites são noções temporárias”, diz à Renascença.

“Se existe vontade, empenho, trabalho e esforço colectivo é possível fazer qualquer coisa e levar a cabo qualquer missão. E eu acho que isto é o maior significado de uma missão a Marte", frisa.

 

Viagem sem retorno?

 

A missão "Mars One" é de alto risco e os cépticos dizem mesmo que pode ser uma viagem só com bilhete de ida, sem retorno.

 

Pretende colocar o Homem em Marte com tecnologia já existente, que será fornecida por parceiros como a Space X, empresa que, há dois anos, fez o primeiro voo privado de reabastecimento da Estação Espacial Internacional.

 

Gracinda Ferreira não tem informação privilegiada nesta fase do projecto. Admite que "é sempre um bocadinho arriscado fazer alguma coisa que nunca ninguém fez" e que "não há, propriamente, um roteiro para ir e voltar".

 

Acredita, porém, nas capacidades da ciência: se o Homem já foi à Lua e passa temporadas na Estação Espacial Internacional, "essa mesma tecnologia” conseguirá “tirar seres humanos de outro planeta e trazê-los de volta".

 

A importância do desenrascanço

 

E se a certa altura da missão a Marte for preciso dizer a frase "Houston, we have a problem" (ou um equivalente marciano), será que o "espírito de desenrascanço" português vai servir para alguma coisa em Marte?

 

Pode ser importante, concede Gracinda, mas dentro de "certos limites" e aliado a um elevado grau de preparação e conhecimento técnico – não convém improvisar numa missão espacial.

 

Ser a primeira astronauta portuguesa deixaria esta arquitecta "muito contente", mas a sua "maior motivação" é "aprender, fazer alguma coisa, desenvolver a tecnologia e, eventualmente, dar alguma coisa à Humanidade".

 

Francesinhas e o som da chuva


Receios só da comida liofilizada de astronauta. Se fosse seleccionada e se a deixassem, levava para Marte "milhões de francesinhas". Se pudesse também traria consigo os seus gatos e as "expressões da natureza", como as plantas, o som do vento nas árvores ou o som da chuva.

O objectivo do projecto “Mars One” é enviar uma missão não tripulada em 2018.

 

O processo de selecção para os futuros habitantes da colónia vai continuar. Gracinda Ferreira vai ser entrevistada nos próximos meses por um "comité local".

 

"Eu espero passar até à última fase. Eu gostaria muito de ir a Marte, foi mesmo para isso que eu me candidatei", remata. Que a força esteja com Gracinda e com os outros dois candidatos portugueses.

 

(retirado daqui.)

É tempo dos EUA cooperarem com a China

Maio 26, 2014

Vera Gomes

 

 

 

 

 

 

Andrew M. Johnson, escreve um artigo de opiniao na Space Newsonde lança um apelo à cooperaçao entre EUA e China na exploraçao espacial para promover o bem-estar financeiro e técnico dos dois países. Contudo, a legislaçao americana impede a cooperaçao bilateral com a China.
É um artigo curto, mas muito interessante que levanta questões válidas para a promoçao da cooperação sino-americana que pode ser lido na íntegra aqui.

Sugestão Leitura

Maio 23, 2014

Vera Gomes

 

 

Este foi um dos livros que me acompanhou no meu percurso académico. Com uma linguagem acessível, explica conceitos básicos das Relações Internacionais. E com a vantagem que é em português! Está disponível na FNAC e em praticamente todas as livrarias online portuguesas.

 

"Este texto é fruto das reflexões e da experiência do autor enquanto professor de Relações Internacionais na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Nele procura integrar, de forma interdisciplinar, as matérias da ciência do direito, das relações internacionais e da política, com o micro da técnica e do saber-fazer e o macro da procura da sabedoria, a que muitos dão o nome de filosofia, por acreditar que só assim se pode aceder à complexa questão da globalização, da mundialização ou da planetarização. E opta claramente por um estudo integrado dos vários discursos sobre o tema, bem como pela procura dos valores que mobilizam os indivíduos e os povos em torno de concepções do mundo e da vida ou de cosmovisões, ciente que está de que não há ciência livre de valores."

"A Rússia não conseguirá por si só acabar com a Estação Espacial Internacional"

Maio 22, 2014

Vera Gomes

 

 

 

 

Charles Bolden

(créditos: Maio 19, 2014 por Frank Jordans)

 

 

No seu discurso na Berlin Air Show, o administrador da NASA Charles Bolden diz que nenhum país envolvido na parceria da Estação Espacial Internacional pode terminar o programa. Os seus comentários vêm em resposta às ameaças da Rússia de se retirar em 2020, que colocam em risco aa iniciativa dos EUA em extender as operações da EEI por mais quatro anos.

 

Podem ler todo o artigo aqui.

Rússia planeia colonizar a Lua até 2030

Maio 21, 2014

Vera Gomes

 

 

 

 

 

A Rússia está a planear colocar uma colónia na Lua em 2030, e está a tentar enviar os primeiros exploradores robóticos para explorar a superfície lunar daqui a dois anos, diz um relatório dos media.

O Jornal Izvestia, afirmou no inicio de maio, que teve acesso a um projecto do programa de governo russo, elaborado pela Academia de Ciências da Rússia, a agência espacial federal, Roscosmos, a Universidade Estadual de Moscou e vários institutos de pesquisa no espaço, delineando um plano de três etapas para uma tripulação na Lua.

uma nave robótica seria enviada à Lua em 2016 e durante a década seguinte, e em 2028, a Rússia estaria pronta para enviar missões tripuladas à órbita do satélite da Terra, afirmou Izvestia, citando o relatório.

Na etapa final, prevista para 2030, os seres humanos seriam enviados para a superfície lunar para configurar a infra-estrutura para uma colónia inicial usando os recursos locais, declara o relatório. O programa também prevê a construção de um observatório espacial para monitorizaçao da Lua e da Terra.

 

Mais sobre este tópico, aqui.

NASA procura próxima missão; a Rússia detém o trunfo

Maio 20, 2014

Vera Gomes

 

 

 

 

 

 

Enquanto os decisores políticos ponderam o próximo passo da NASA na exploraçao humana do espaço, a Rússia mantém o controlo do acesso americano à Estação Espacial Internacional. As sanções americanas por causa da anexaçao da Crimeia pela Rússia, o apertado orçamenento americano e a retirada do space shuttle em 2011, fez com que a parada do jogo espacial subisse.

 

O Houston Chronicle escreve um artigo interessante sobre este assunto que podem ler aqui.

 

 

 

Análises ao sangue possíveis no Espaço

Maio 19, 2014

Vera Gomes

 

 

A Medical Cork, uma empresa de dispositivos médicos, foi premiada com um contrato €1.000.000 pela Agência Espacial Europeia para o seu inovador dispositivo de teste de sangue.
 
O dispositivo de teste de sangue será usado pelos astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional e em várias missões de voo espacial humano.
 
O aparelho em si será desenvolvido nas suas instalações no Centro de Rubicon em Cork. Está projetado especificamente para obter resultados de grau de laboratório para inúmeras as condições de saúde, sem medo de contaminação biológica.
 
É a segunda vez que a Radisens’ Diagnostics ganhou um contrato para o trabalhar com a ESA. A primeira parceria entre as duas entidades foi anunciada em Novembro de 2011.

Sugestao de leitura

Maio 16, 2014

Vera Gomes

 

 

 

 

 

Esta semana um livro em português sobre ciência, disponível na FNAC.

 

A ciência é maravilhosa. Fala-nos do espaço sem fim, do ser vivo mais pequeno, do corpo humano e da história do nosso planeta. A ciência desde sempre procurou compreender o mundo e controlar o seu poder. Desde os filósofos gregos da antiguidade, passando por nomes bem conhecidos de todos até aos cientistas assistidos por computador dos nossos dias, os homens e as mulheres têm-se interrogado, examinado, experimentado, calculado e por vezes feito descobertas tão avassaladoras que, desde então, as pessoas encararam o mundo – ou a si próprias – de uma maneira totalmente diferente. Este livro fascinante conta uma grande história de aventuras: a história da ciência. Leva os leitores até junto das estrelas através do telescópio, enquanto o Sol substituiu a Terra no centro do Universo. Sonda os abismos do planeta, cartografa a evolução da tabela periódica da química, apresenta a física que explica a eletricidade, a gravidade e a estrutura dos átomos. Reconta a demanda científica que revelou a molécula de ADN e abriu caminhos novos e inimagináveis à procura do saber. "Breve História da Ciência" inclui histórias surpreendentes e pessoais de cientistas famosos e dos menos recordados e acompanha a evolução da ciência ao longo dos séculos. Com um estilo vivo e acessível, é um livro destinado a todos os que se interessam pelo mundo em que vivemos.

 

(texto retirado daqui)

Foguetão russo despenha-se pouco depois do lançamento

Maio 16, 2014

Vera Gomes

Foguetão russo despenha-se pouco depois do lançamento
                                                        Fotografia © Reuters

 

 

 

 

Um foguetão russo "Proton", que transportava um satélite de fabrico europeu, caiu pouco depois do lançamento, naquele que é o mais recente incidente a atingir a indústria espacial russa.

 

Segundo fontes oficiais, o mecanismo de controlo do foguetão falhou 545 segundos depois do lançamento a partir do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

 

A televisão estatal transmitiu imagens do foguetão e do satélite de comunicações Express-AM4P, que se incendiaram nas camadas superiores da atmosfera sobre o Oceano Pacífico.

 

A agência espacial russa -- a Roscosmos -- indicou ter formado uma comissão especial para "analisar as informações telemétricas e apurar as razões para a situação de emergência".

 

Segundo o Channel One, o satélite -- construído pela Astrium, do grupo europeu Airbus -- tinha como 'missão' fazer chegar Internet a territórios russos remotos com fraco acesso às comunicações.

 

O anterior chefe da Roscosmos, Vladimir Popovkin, foi demitido em outubro do ano passado, ao fim de menos de dois anos no cargo, por causa de uma série de lançamentos fracassados e outros incidentes que embaraçaram a indústria espacial russa.

 

O novo líder da agência, Oleg Ostapenko, foi incumbido, pelo Presidente russo, Vladimir Putin, de reestruturar todo o setor, com a ajuda de um financiamento extra de milhares de milhões.

 

(retirado do DN)

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Free Delivery on all Books at the Book Depository

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Follow