Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

1 música = 1 imagem #26

Março 17, 2017

Vera Gomes

Etna_erupts_node_full_image_2.jpg

 

It feels sometimes this hill's too steep for a girl like me to climb
But I must knock those thoughts right down I'll do it in my own time

 

Imagem: Vulcão Etna, Itália. Contém dados modificados do satélite Sentinel/ Coperniscus, processados pela ESA (2017)

Música: Upside Down, Paloma Faith

 

Onde começa o espaço?

Março 09, 2017

Vera Gomes

mm.jpg

 Crédito: NASA

 

Muitas pessoas se questionam sobre onde o espaço começa. Geralmente a resposta que vem à cabeça, é algo relacionado as propriedades físicas que se alteram em determinada altura. Outros, viajando a menos tempo nos seus pensamentos sobre o espaço, podem simplesmente deduzir, que o espaço começa, onde tudo deixa de ficar azul e começa a se tornar preto. Independentemente de qualquer dedução, onde de fato, pode-se considerar como o início do espaço?

 

A resposta para a pergunta acima, oficialmente é: Não se sabe onde exatamente o espaço se inicia. Durante muitos anos foram diversas as discussões sobre o tema. Uma das primeiras discussões acerca do tema registradas, ocorreu entre o embaixador Goldberg e o Senador Bourke B. Hickenlooper, ambos dos Estados Unidos. Quando o Senador questionou, de forma irônica, o Embaixador em uma das sessões do congresso dos EUA em 1967 em relação a ausência de uma definição do espaço, o embaixador respondeu:

 

Isso me faz lembrar do meu colega, Potter Steward-Juice do Supremo Tribunal, que me disse uma vez enquanto discutíamos a grande questão sobre o que é obsceno ou pornográfico: “Eu não posso definir isso, mas sei quando eu vejo”. Talvez a mesma regra apareça aqui. Nós sabemos que o espaço que o espaço fica além daqui.

 

A falta de uma definição oficial e universal sobre o início do espaço, não ocorreu pela recorrência do humor duvidoso de embaixador Goldberg. Ela simplesmente não existe, pois, além das propriedades físicas que poderiam definir o espaço, mudarem constantemente impossibilitando uma definição exata, os Estados não sabem exatamente quem irá ganhar mais ou menos com essa definição. Diversos autores e até mesmo o governo americano, disparam que não é necessária uma definição sobre onde se inicia o espaço, pelo fato da ausência dessa definição não ter trazido problemas até então.

 

Com os avanços tecnológicos, a ideia de não se definir o espaço, fica cada vez mais nebulosa. Os projetos das naves Horus-Sanger e HOPE da Alemanha e Japão, respectivamente, desafiam a ausência de tal definição, pelo fato de realizarem decolagens e voos na horizontal, mas em grandes altitudes. Nesse caso, surge a questão sobre se determinadas tecnologias estão ou não transpassando o espaço aéreo de outras nações. Diferentemente do que ocorre em relação aos satélites, que orbitam livremente sobre a Terra. A questão é, em que ponto um espaço aéreo deixa de o ser, para se tornar espaço?

Apesar de tal conceito não ser concebido de forma universal e oficial, diversas agências e órgãos, como a NASA, Força Aérea Americana (USAF), Fédération Aéronautique Internationale (FAI), US Aeronautic Association entre outras, se utilizam de suas próprias definições operacionais. O Linha de Kárman é o ponto onde a velocidade necessária para manter a altitude é igual à velocidade de escape. Tanto a NASA como a FAI, consideram essa linha como um divisor. Se você passar dessa linha, a aeronáutica se torna astronautica  e você será considerado um astronauta.  

Uma possibilidade que chegou a ser apontada como uma solução da invasão de espaço aéreo para essas naves, foi a adoção de uma política de “céu aberto” entre todos os Estados. Com os atentados de 11 de setembro e a insegurança internacional, tal medida se torna ainda mais complicada de ser aceita. Dessa forma, talvez o foco no momento deva ser até onde o espaço pode nos levar, pois onde ela se inicia, parece um ponto complicado demais para o momento.

 

Texto de Andreas Markus Wolter,  entusiasta da exploração espacial e investigador em Astropolítica e Relações Internacionais. Trabalha como analista de comércio internacional na Federação das Indústrias de Santa Catarina no Brasil.

 

Espaço na semana da moda em Paris

Março 08, 2017

Vera Gomes

chanel-fall-winter-2017-18-ready-to-wear-mood-of-t

 

Pois é: espaço está na moda! A Chanel no seu desfile da colecção Outono-Inverno 2017-2018 utilizou como cenário... Espaço! Podem ver algumas das fotos aqui.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Free Delivery on all Books at the Book Depository

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Follow