Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Rússia apontará mísseis a países que ameaçacem sua segurança

O presidente russo, Vladimir Putin, declarou hoje que Moscovo apontará os respectivos mísseis a todos os países europeus que acolherem no seu território elementos do sistema antimísseis norte-americano, que apresenta uma ameaça para a segurança da Rússia.

«O nosso Estado-Maior militar considera que este sistema ameaça a nossa segurança nacional. Caso apareça (nas proximidades das fronteiras russas), seremos obrigados a tomar as medidas adequadas e a apontar os nossos mísseis às instalações que nos ameaçam», disse Putin em conferência de imprensa no Kremlin.

O líder russo afirmou que as suas palavras se referem tanto à República Checa e à Polónia, que podem receber elementos do escudo antimísseis dos Estados Unidos, como à Ucrânia, que quer entrar para a NATO.

Ao mesmo tempo, o presidente russo salientou que o seu país não pretende «apontar os seus mísseis sem necessidade extrema» e que, em todo caso, seria uma «resposta» aos planos dos EUA de instalar um radar na República Checa e uma base de foguetes interceptores na Polónia.

O líder do Kremlin acrescentou que os Governos checo, polaco e ucraniano actuam sem sequer consultar a sua população, o que na sua opinião não tem nada a ver com as «regras da democracia».

«Alguém perguntou aos checos e aos polacos se querem esses sistemas? Que eu saiba, para a imensa maioria dos cidadãos checos esses planos não lhes oferecem nenhuma esperança», disse Putin, acrescentando que a maioria dos ucranianos também se opõe à entrada na NATO.

Segundo Putin, os EUA quando planearam a instalação de elementos da respectiva defesa no Leste Europeu nem sequer consultou a NATO e só iniciaram conversações com a Aliança depois de a Rússia se opor taxativamente à instalação do sistema.

Esta é a última conferência de imprensa anual de Putin, que abandonará o Kremlin depois das eleições presidenciais de 2 de Março.

14-02-2008 10:54:25, Diário Digital
(http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=10&id_news=318620)