Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Lançadores Pesados

A falta de dinheiro que a Rússia sente no seu programam espacial é especialmente gritante quando se vê o mais poderoso lançador pesado do mundo parado sem ter uso. O sistema Energia, capaz de colocar na órbita baixa da Terra entre 120 a 175 toneladas, está a ganhar pó. Inicialmente criado para carregar a Mir-2 para o espaço, acabou por ser utilizado aquando do lançamento dos Buran, os shuttles russos, que por falta de fundos acabaram por ver o programa cancelado.


De facto o Buran era uma excelente alternativa ao shuttle americano e, aparentemente, melhor, já que podia levar mais carga. Mas a questão aqui é outra. Com um sistema capaz de colocar em orbita 175 toneladas, leva-me a pensar que já existe como lançar uma missão bem ambiciosa à Lua e/ou Marte mas, aparentemente, ninguém está interessado em cooperação. Será que a ESA ou a NASA não querem pedir aos Russos para participar com o Energia ou ajuda-los a usar o ressuscitar o Buran (agora que o shuttle está condenado) ou será que a Rússia não deseja ver os seus segredos do Energia partilhados com a NASA ou ESA?


Pessoalmente penso que haveria muito a ganhar com uma cooperação a este nível. Por outro lado temos a questão estratégica do espaço. Quem tiver um sistema com o Energia, pode muito bem, com as condições e opções certas, tornar-se muito dominante no espaço e, talvez seja esse o segredo para esta questão, inclusivamente um dos primeiros voos do Energia foi para colocar o Polyus, um sistema da guerra das estrelas soviético, no espaço.


Se pensarmos que no mundo “ocidental” (EUA e EUROPA), principalmente, não existe nada mais poderoso que o Ariane V em termos de lançadores pesados, realmente quem detiver o controlo do Energia, pode muito bem, se quiser e/ou puder em termos financeiros, vir a dominar o espaço em termos estratégicos e mesmo comerciais… Pergunto-me se algum dia o sistema voltará a voar. Veremos.


(por Nuno Coimbra - (Obrigada Nuno))

4 comentários

Comentar post