Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Nasa investe em projectos privados

Depois do Presidente Obama ter colocado de parte a continuação de projectos para os EUA voltarem à Lua até 2020, surgem rumores que a NASA está a participar em diferentes projectos privados, nomeadamente: a cabine espacial “New Shepard”, uma nova nave espacial turística, um sistema de suporte de vida que capture o dióxido de carbono e reinsira oxigénio no ar das naves espaciais, o mini-vaivém espacial “Dream Chaser” e a reconfiguração e adaptação de foguetes para transportar astronautas.

 

No livro "Space, Free-Market Frontier", editado por Edward L. Hudgins, em 2002, varios autores pronunciam-se sobre a possibilidade de o Estado mudar a sua postura e iniciar a incentivar os privados a investirem no espaço por forma a que haja desenvolvimentos mais rápidos, rentáveis e os custos se tornem mais acessíveis ao consumidores dos produtos associados. Gregg Maryniak compara mesmo o sucesso do desenvolvimento e da massificação da aviação com o sector espacial para que o leitor possa melhor compreender as diferenças na evolução destas duas indústrias e como a postura dos intervientes públicos, regulamentações, etc influenciaram esse mesmo crescimento.

 

 

----------

 

New rumours, prompted by the recent President Obama statements suggesting new cuts and putting off the mission to reach the Moon until 2020, put NASA under strain to find new focus elsewhere. On a private level, the new focus might be on the development of the "New Shepard" space cabin, a new space spacecraft aimed at touristic missions, a new life support systems featuring an enhanced "CO2 to O2" conversion system, the small space shuttle "Dream Chaser" and the rocket conversion for astronaut transport.
 
In the book "Space, Free-Market Frontier", edited by Edward L. Hudgins, em 2002, many were the authors who referred a possible governmental shift in the approach to the space market by fostering private entities to increase their investment. New and better products could reach the final consumer faster and cheaper, as result of the state of the art processes  and materials available in the space sector. Gregg Maryniak opposes the success and the accessibility to commercial flights with those of the space sector, in a attempt to raise the reader's awareness of the differences and how the different official entities positioning and the sector regulation affected the growth of both sectors.