Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Adeus Vaivém

Os EUA andam agora à boleia dos Russos até encontrarem uma solução de transporte espacial. Obama suspendeu a continuidade no desenvolvimento de outras formas de transporte. Em parte por em tempo de crise financeira e problemas domésticos internos para resolver (como o caso do aumento veloz de crianças sem abrigo) torna dificil explicar à população os milhões que se investem nesta área.

 

Sem sombra de dúvida que a descontinuidade do vaivém é uma mudança no paradigma da exploração espacial para os próximos anos. Nos últimos dias, muitos se desdobraram em previsões para o futuro. Fala-se muito na China como a próximo líder e o próximo país a colocar alguém na Lua. Espero que não esqueçam outros actores que têm ganho relevância nos últimos anos, por exemplo a Índia ou o Japão. Relembrar também que a ESA está a desenvolver um meio de transporte que poderá rivalizar com o Soyuz russo. 

 

Quem me conhece sabe que sempre defendi que aquilo que nos levou à Lua será aquilo que nos levará a Marte. E estou, obviamente a falar de contexto político e social. O facto das missões espaciais se terem tornado rotineiras, fez com que a sociedade perdesse o fascínio sobre a exploração espacial. E é essa falta de interesse que faz falta recuperar. Lou Friedman há pouco tempo referia isso mesmo e que o futuro da exploração espacial passaria pelas parcerias público-privadas. Verdade seja dita, com a saída da Nasa a indústria privada americana que tem feito esforços para conseguir um meio de transporte tem agora à sua disposição tecnologia e know-how que poderão ser fundamentais para o desenvolvimento da indústria. Espero que sim!