Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Elon Musk: vilão ou super herói?

 

 

Inovador ou supervilão? O milionário sul-africano Elon Musk tem planos para o planeta vermelho.

 

Elon Musk é um empreender e milionário sul-africano conhecido pelas suas apostas em áreas inovadoras: dos carros elétrico na Tesla ao transporte espacial na SpaceX. E que agora quer bombardear Marte com armas nucleares.

 

A ideia, na qual insistiu numa entrevista com Stephen Colbert, não é tão louca quanto pode parecer à primeira vista. Elon Musk defende que esta é a melhor forma de tornar o planeta vermelho habitável e mais parecido com a Terra. Como? Derretendo as calotas polares e libertando o dióxido de carbono acumulado sob a superfície, o que estimularia o efeito de estufa e tornaria o planeta mais quente.

 

 

 

Colbert, que apelidou Musk de "o Tony Stark (o Homem de ferro) da vida real", perguntou ao milionário porque acha que devemos ir a Marte. "Inicialmente teremos de viver em complexos, mas eventualmente é possível transformar Mars num planeta como a Terra." A maneira rápida, explicou, é lançar armas nucleares nos polos.

 

Perante esta ideia, Colbert disse que Musk é na realidade um supervilão, mas a verdade é que a hipótese já foi posta por um dos físicos mais famosos do mundo, Michio Kaku. O japonês explica que é necessário espoletar o aquecimento do planeta e uma das ideias que menciona é a de usar bombas de hidrogénio.

 

 

 

Musk é o dono da SpaceX, que produz e lança foguetões para o espaço e ganhou um contrato da Nasa para conceber e sistema de lançamento capaz de reabastecer a Estação Espacial Internacional (EEI). Foi a empresa escolhida para realizar o primeiro voo privado de reabastecimento da Estação. A Nasa quer levar os humanos até Marte na década de 2030.

 

(retirado daqui)