Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Mulheres no Espaço - Yi So-yeon

 

 

Yi So-yeon nasceu em Gwangju (Coreia do Sul) a 2 de Junho de 1978. É uma doutorada pelo Instituto de Ciência e Tecnologia Avançada da Coreia do Sul (KAIST) e cosmonauta sul-coreana, primeiro cidadão deste país, de ambos os sexos, a ir ao espaço.

 

Yi foi uma dos dois finalistas escolhidos pelo programa espacial coreano para ir ao espaço, anúncio feito ao país em 25 de Dezembro de 2006. Em Setembro do ano seguinte, o governo do país anunciou a escolha final do outro selecionado, o investigador Ko San, que foi enviado para os treinos finais na Rússia por ter obtido um melhor resultado nos testes realizados pelos dois candidatos, enquanto Yi ficaria como cosmonauta-substituta.

 

Entretanto, em Março de 2008, a Agência Espacial Russa solicitou a troca devido a problemas apresentados por Ko San durante os estágios finais do treino para o vôo (como violações de regras internas da agência) o que levou Yi So-yeon a se juntar à equipa principal da missão Soyuz TMA-12. Em 8 de Abril de 2008, Yi foi lançada ao espaço junto com os cosmonautas Sergey Volkov e Oleg Kononenko para estadia à bordo da ISS.

 

Durante a missão, a cosmonauta sul-coreana realizou dezoito experiências científicas para o Instituto de Pesquisa Aeroespacial da Coreia do Sul (KARI), entre elas o comportamento de moscas em microgravidade, o crescimento de plantas e as mudanças causadas pela falta de gravidade no seu coração, olhos e face, sendo fotografada seis vezes ao dia com uma camara especial, para registrar as mudanças ocorridas em diferentes horas do dia e da noite.

 

Yi So-yeon regressou à Terra em 19 de Abril na nave Soyuz TMA-11, após onze dias em órbita, na companhia da astronauta norte-americana Peggy Whitson, comandante da Expedição 16 e do cosmonauta russo Yuri Malenchenko, que terminavam uma temporada de seis meses na ISS.

 

Durante a reentrada da nave, a Soyuz teve problemas de mau funcionamento, o que a fez atingir a atmosfera numa trajetória balística mais acentuada que o previsto, levando os tripulantes a se submeter a uma força gravitacional de 10G, dez vezes maior que a sentida na superfície da Terra, que poderia lhes causar severos problemas físicos. Entretanto, os três reagiram bem ao facto, apesar de passarem alguns dias sob observação médica. A entrada forçada fez com que a cápsula aterrasse 420 kms fora do local de pouso original, no Cazaquistão.

 

Após o vôo So-Yeon trabalhou como investigadora no KARI e como embaixadora espacial da Coreia do Sul pelo mundo, junto com seu preterido colega Ko San.