Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Porque que é que a Índia é importante para o mercado de sistemas espaciais militares?

 

De acordo com o relatório de 2014 do Stockholm International Peace Research Institute, a Índia foi responsável por 14 por cento das importações de armas do mundo de 2009 até 2013, mais do que qualquer outra nação.

 

A tendência vai continuar nas próximas décadas, uma vez que a Índia continua o seu esforço de modernização num meio ambiente conturbado e violento, tanto a nível doméstico como com a sua vizinhança. Convém lembrar que nao se prevê melhorias significativas no cenário de segurança num futuro próximo, a indústria de armas da Índia ainda está a amadurecer,  e espera-se que a economia da Índia continue a crescer com taxas de crescimento do produto interno bruto acima da média global.

 

Em poucas palavras, o aumento das necessidades de segurança da Índia continuarão a ser apoiadas por uma economia em crescimento e o vórtice da economia do mercado de defesa continuará a ser a Índia. A probabilidade de Modi e Obama estenderem o acordo de cooperação de defesa dos EUA-Índia até 2025 é, portanto, bastante impressionante.

 

Além da área militar, o espaço também afecta outros aspectos de segurança, como as forças policiais, intelligence e controlo de narcóticos, os quais abundam na Índia. É por isso que todos aspiram a usar espaço para fins variadas. Por exemplo, satélites de observação permitem a identificação precisa das plantações de cocaína até mesmo quando estão localizadas em zonas florestais densas, tornando o trabalho de interdição muito mais fácil. Para colocar a sua demanda potencial em perspectiva, a Índia tem um exército permanente de mais de 1,5 milhões de euros, mais de 1,5 milhões em forças paramilitares, e um número ainda maior de polícia, os quais cobiçam as capacidades espaciais. Toda a modernizaçao da área de segurança gravita em torno do espaço. E convém lembrar que a aquisição e integração de capacidades espaciais é uma questão que envolve muito dinheiro.

 

A deficiência da Índia encontra-se no seu programa espacial, que tem origens civis e, ao contrário da maioria das outras grandes nações do clube espacial, está focado apenas em usos civis. Assim, as capacidades espaciais da Índia estão severamente limitadas para aplicações de segurança. O vácuo militar é evidenciado no facto de que embora a Índia tenha constelações de satélites de comunicação e de observação, tem apenas um satélite militar dedicado. Aparentemente, a utilização civil do espaço por milhões da Índia deixa poucos recursos para aplicações de segurança. A mudança de foco do desenvolvimento civil para fins militares não é prudente, nem acessível e, portanto, não é provável. Pelo menos nao é esperado num futuro próximo. Por outro lado, os EUA são o líder mundial em capacidades espaciais, tanto de natureza civil como militar. No domínio civil, um Grupo de Trabalho Conjunto EUA-Índia, formado em 2004, trabalha sobre a cooperação espacial civil e a aquisição de capacidades civis; no entanto, não existe um grupo de trabalho semelhante para produtos de defesa.

 

A Índia decidiu avançar com 19 projectos do setor de defesa em Setembro e que estavam pendentes há vários anos. Negócios na área da defesa ascendem a 6 bilhões de dólares foram também iniciados nos últimos três meses. Novas perspectivas se abriram. A oportunidade também não é passageira: é suposto durar décadas. O potencial existe, os chefes das nações concordam, o pacto de defesa apresenta uma oportunidade e não existe, qualquer razão para uma das partes não para explorar o sentido e sensibilidade da oportunidade.

 

Podem ler mais sobre este tópico, aqui.