Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Roupa interior feita de tecido espacial é resistente ao calor

 

Graças à ESA e a um tecido de alta tecnologia usado em roupas espaciais, os operários metalúrgicos da Suécia poderão em breve vestir roupa interior mais fresca e mais segura no trabalho.

 

Cathrin Persson trabalha na indústria do aço da Suécia desde 1998. Todos os dias, quando se veste para o trabalho, a soldadora tem um problema: há poucas opções de roupa interior resistente ao calor - e ao fogo - no mercado e nenhuma é para mulheres. 

 

Assim, como a maioria dos operários das indústrias metalúrgicas, Cathrin usa roupa interior normal, o que está longe de ser o ideal porque o algodão queima com facilidade e retém o calor. E para as mulheres, a roupa interior comum não cobre adequadamente a zona do peito.

 

“Quando se está a soldar, voam faíscas”, explica Cathrin. “As faíscas caem em cima de nós como se fosse chuva. Fazem buracos nos nossos fatos e quando as faíscas chegam à pele só param quando são travadas por alguma coisa. No caso das mulheres, esse travão é geralmente o soutien.” 

 

No entanto, graças à tecnologia espacial, a rotina matinal de Cathrin pode mudar brevemente. Com base no Nomex, um tecido muito resistente usado nos fatos dos astronautas, a empresa sueca de roupa interior Björn Borg criou protótipos desenhados especificamente para as condições extremas das fábricas de siderurgia. 

 

Chamado “Thunderwear” (vestuário trovão), a nova linha de roupa interior foi lançada este verão num desfile de moda em Estocolmo. 

 

Tendo sido um dos cinco modelos-metalúrgicos na passerelle, Cathrin ficou impressionada com o Nomex: “Foi sujeito a chamas diretas e não ficou com marcas.” 

 

Mas ainda mais importante para uma mulher que trabalha com aço “cozinhado” a temperaturas superiores a 1050º C, é que o tecido de alta tecnologia não retém o calor: “Toquei no tecido logo a seguir e estava morno.” 

 

O vestuário existe graças ao Programa de Transferência de Tecnologia da ESA (TTP na sigla inglesa). O ano passado, a responsável pela rede TTP sueca, Cecilia Hertz, da Umbilical Design, deparou-se com o problema durante um encontro com representantes da Jernkontoret, a Associação Sueca de Produtores de Aço. 

 

Contactou a seguir a empresa fabricante de roupa interior Björn Borg, que se mostrou imediatamente interessada. Finalmente, Cecilia abriu um concurso na rede TTP para encontrar um material espacial adequado. 

 

A empresa italiana D'Appolonia sugeriu a Nomex. “Temos experiência em materiais para vestuário de proteção e propusemos algumas soluções”, disse Andrea Maria Ferrari, da Nomex. 

 

Andrea ficou impressionada pela maneira como a Björn Borg conseguiu adaptar materiais de alta tecnologia da Nomex - geralmente bastante ásperos - para serem usados em roupa interior. 

 

O astronauta da ESA Christer Fuglesang, que participou do desfile de moda Thunderwear, vestiu equipamento da Nomex para o espaço (mas não roupa interior, os astronautas vestem as suas próprias cuecas no trabalho diário no espaço): “Estes projetos mostram-nos como podemos usar a tecnologia espacial em terra e para mudar a sociedade.

 

(retirado daqui)