"The Earth is a cradle of the mind, but we cannot live forever in a cradle" Konstantin E. Tsiolkovsky
24.9.14

 

 

 

 

Um funcionário espacial chinês de topo disse que o país ainda tem planos para estabelecer sua primeira estação espacial no início da década de 2020, embora esse prazo tenha alterado um pouco em relaçao a anteriores anúncios.

 

Yang Liwei, vice-chefe do programa de voos espaciais tripulados da China, que, em 2003, se tornou a primeira pessoa da China no espaço, disse numa reunião da Associação de Exploradores Espaciais, em Pequim, no passado dia 10 de Setembro que a primeira estação espacial da China estaria pronta "em 2022". 

 

As autoridades chinesas disseram que há vários anos que planeiam estabelecer uma estação espacial permanente, originalmente programada para estar pronta em 2020. No ano passado, no Congresso Internacional de Astronáutica, em Beujing, porém, autoridades disseram que a estaçao espacial estaria pronta em 2023.

 

(retirado daqui)

tags:
link do postPor Vera Gomes, às 15:09  comentar

22.9.14

 

 

 

Para quem conhecer ou saber algo mais sobre o programa espacial chinês, aconselho vivamente a verem a apresentação feita por Nick Eftimiades, que trabalhou durante 30 anos no Departamento de Defesa dos EUA na área de tecnologia espacial. Escreveu também um livro "Chinese Intelligence Operations" que lhe valeu a "distinção" pela China de "Inimigo do Povo".

 

Podem saber mais sobre o Nick e seguir o seu blog aqui.

 

tags:
link do postPor Vera Gomes, às 17:33  comentar

15.9.14

 

A avaliação dos EUA da proposta de actualizaçao do tratado para proibir a militarizaçao do espaço feitas pela Rússia e Chinaconsidera que esta proposta que sofre dos mesmos problemas que fizeram a versão original inaceitável, disse um diplomata americano.

O Embaixador Robert Wood, o representante dos EUA na Conferência de Desarmamento em Genebra, disse que no passado dia 9 de Setembro que os Estados Unidos tinham concluído uma revisão em profundidade do Tratado, formalmente conhecido como o "Tratado sobre a prevenção da colocação de armas no exterior espaço e da ameaça ou do uso da força contra objectos no espaço exterior" e geralmente referido como PPWT. A China e a Rússia apresentaram uma actualização à sua proposta original de 2008, em Junho.

"De acordo com a análise dos Estados Unidos, o projecto PPWT, tal como a versão anterior de 2008, continua a ter falhas fundamentais", disse Wood, no seu discurso preparado para a sessão plenária da Conferência de Desarmamento.

 

"Os Estados Unidos estão dispostos a considerar as propostas e conceitos que são equitativos, efetivamente verificáveis de controle de armas espaciais, e aumentar a segurança de todas as nações", disse Wood nas suas observações. "No entanto, nós ainda não vimos quaisquer propostas juridicamente vinculativas que atendem a esses critérios."

 

PPWT foi proposto pela China e Rússia, em Fevereiro de 2008 como sendo um tratado internacional, juridicamente vinculativo, que pretende proibir o armamento do espaço.

 

 

Podem ler mais sobre este assunto aqui.

link do postPor Vera Gomes, às 16:17  comentar

9.9.14

 

 

 

O Departamento de Estado americano, através de Frank Rose reforçou no dia 12 de Agosto que os chineses realizaram outro teste anti-satélite (ASAT) a 23 de Julho (ver artigo do Astropolitica sobre este tópico aqui).  Esta é a segunda vez que o governo dos Estados Unidos acusa a China de realizar um teste ASAT - outros analistas insistem houve outros - e Rose voltou a enfatizar um comunicado divulgado pelo Departamento de Estado a 25 de Julho, talvez, para aumentar a visibilidade da preocupação do governo dos EUA.

A 25 de Julho, o comunicado do Departamento de Estado afirmou que a China realizou um teste ASAT não destrutivo em 23 de Julho e exortou a China a "abster-se de acções desestabilizadoras." A China anunciou que era um teste de interceptação de mísseis.

Rose disse que "Apesar das alegações da China que este não era um teste ASAT, deixe-me assegurar-lhe  que os Estados Unidos têm grande confiança na sua avaliação de que o evento foi realmente um teste ASAT." A Rússia também tem armas ASAT, continuou, citando depoimento ao Congresso pelo director da CIA, James Clapper. Rose, que é vice-secretário assistente de Estado para Controle de Armas, Verificação e Aderência à Norma, disse que os sistemas ASAT são "desestabilizadores e ameaças à segurança a longo prazo e ainda à sustentabilidade do meio ambiente do espaço."

Não há discordância de que a China realizou um teste ASAT em ​​2007, destruindo um de seus próprios satélites e ganhando condenação internacional por causa da nuvem resultante de detritos orbitais que colocam em risco os satélites em órbita baixa da Terra indefinidamente. A China conduziu testes de "míssil de interceptação" em 2010 e 2013, que alguns analistas ocidentais afirmam também foram testes ASAT, mas o governo dos EUA não os colocou publicamente nessa categoria. Esta é apenas a segunda vez que o governo dos EUA acusou a China de um teste ASAT. Rose referiu que este foi um teste "não destrutivo", mesmo que no resto dos seus comentários sublinhou as graves consequências de sistemas ASAT sobretudo pela criação de detritos espaciais

tags: , ,
link do postPor Vera Gomes, às 17:11  comentar

28.7.14

 

 

 

 

O Departamento de Estado dos EUA acusou na semana passada (25 de Julho) a China de realizar um outro teste anti-satélite (ASAT) na quarta-feira 23 de Julho. A China respondeu às acusasões afirmando que tinha realizado um teste de interceptação de mísseis. A distinção entre as duas operações podem ser difíceis de fazer e continua a haver controvérsia nos círculos ocidentais quanto ao número de testes ASAT que China já realizou.  

Todos concordam que, em 2007, a China destruiu um de seus próprios satélites com uma arma ASAT. O teste foi condenado internacionalmente por causa da grande nuvem de detritos que criou na órbita baixa da Terra - cerca de 3.000 peças (o número exacto muda já que algumas peças reentram na atmosfera terrestre e novas peças são criadas por colisões dentro da nuvem de detritos) - que ameaça todos os satélites operacionais naquela órbita

Há também um consenso de que a China realizou testes em 2010 e 2013, mas se eles eram de interceptação de mísseis ou testes ASAT é uma questão de debate nos círculos ocidentais. Embora alguns analistas ocidentais consideram que foram testes ASAT, o governo dos EUA não os tem caracterizado oficialmente dessa forma.

Portanto, esta é apenas a segunda vez que o governo dos Estados Unidos acusou directamente a China de realizar um teste ASAT e exortou a China a "abster-se de acções desestabilizadoras ... que ameaçam a segurança de longo prazo e sustentabilidade do meio ambiente do espaço exterior, em que todas as nações dependem".

 

Podem ler o comunicado na íntegra aqui.

Para mais informação sobre a China e os testes ASAT podem ler os artigos que foram publicado aqui.

link do postPor Vera Gomes, às 18:45  comentar


 
Receba as nossas novidades

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Visitas
Siga-nos
subscrever feeds
Quem fala de nós
Twingly Blog Search link:http://astropolitica.blogs.sapo.pt/ sort:published Últimos Links para o Astropolitica