Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Rússia, Nasa e Esa na Lua?

Junho 21, 2017

Vera Gomes

rsz_shutterstock_363343838-e1488217795507.jpg

 

O chefe da Roscosmos disse que espera que a Rússia coopere com a NASA e a ESA no desenvolvimento de uma estação de "gateway" cislunar.

 

Igor Komarov, no Paris Air Show na passada segunda-feira, disse que espera que a Roscosmos participe no Deep Space Gateway, o conceito da NASA para uma instalação tripulada para operar em órbita lunar ou noutro lugar no espaço cislunar, para servir como banco de provas para futuras missões para Marte. Komarov disse que papéis específicos para Roscosmos e outras agências no projceto ainda não foram determinados.

 

Para saber mais, clique aqui.

Kremlin vs SpaceX: competição à vista?

Abril 11, 2017

Vera Gomes

1400882421725.png

 

O Kremlin está confiante de que a agência espacial estatal russa pode competir com as empresas mais ambiciosas no campo, incluindo o SpaceX de Elon Musk.

 

O porta-voz do presidente russo Vladimir Putin, Dmitry Peskov, mencionou o tema do espaço numa entrevista no dia seguinte à SpaceX de Elon Musk lançar com sucesso o primeiro foguete feito de materiais reciclados.

 

"Seguimos cuidadosamente os avanços tecnológicos no Kremlin e nas instituições estatais pertinentes", disse Peskov à agência estatal de notícias Itar-Tass. "A concorrência é feroz o suficiente. Mas temos todos os motivos para supor que podemos fazer uma contribuição digna para esta competição."

 

O vice-primeiro-ministro russo, Dmitry Rogozin, também comentou sobre o lançamento do SpaceX, enviando a Musk "sinceras felicitações". Ele também aproveitou a oportunidade para falar sobre os esforços de exploração espacial da Rússia, alegando que Roscomos tinha vários projetos em andamento. "É extremamente importante reter, para além dos propósitos de prestígio, o estatuto de um grande Estado espacial, que tem de corresponder totalmente a um novo trabalho, novas ideias e novas tecnologias", afirmou.

Rússia na Lua em 2031?

Novembro 22, 2016

Vera Gomes

 

O chefe da empresa espacial russa Energia acredita que o primeiro russo vai pisar a Lua  dentro de 15 anos. Vladimir Solntsev disse na semana passada que um pouso lunar humano em 2031 seria natural depois de vários anos de vôos não tripulados à Lua para testar as naves espaciais que mais tarde levarão pessoas. Ele também disse que a Rússia está a pedir que a Europa e os Estados Unidos cooperem no desenvolvimento de uma nave espacial lunar.

 

Podem ler mais sobre este assunto, aqui

Base russa na Lua em 2030

Abril 19, 2016

Vera Gomes

Créditos imagem: Vladimir Smirnov/ TAAS

 

A Rússia prevê construir uma base na Lua, no período 2030-2035, afirmou o director-executivo de programas espaciais tripulados da Roscosmos, Sergei Krikalev.

"A alunagem na Lua está prevista, em 2030, e no período seguinte, até 2035 o conjunto da base lunar, a estação lunar será realizada", disse ele.
 
A base proposta incluirá uma estação de energia solar, estação de telecomunicações, estação tecnológica, estação científica, pesquisa de longo prazo, àrea de pouso e lançamento, e um satélite em órbita.  Resta saber até que ponto os planos russos se cruzarão com os planos da Agência Espacial Europeia de uma Moon Village.
 
Podem saber mais sobre este anúncio, aqui.

A troika chega à Rússia

Março 29, 2016

Vera Gomes

Depois de meses de atrasos, o governo russo finalmente aprovou o programa espacial para os próximos 10 anos com 1,406 trilhões de rublos (equivalente a 20,5 billiões de dólares) há duas semanas.

 

Oficialmente conhecido como o Programa Espacial Federal 2016-2025, ou FKP-2025, o documento estava em desenvolvimento há cerca de dois anos e passou muitos meses mais nas deliberações entre as várias agências federais envolvidas em actividades espaciais.


O pacote final inclui os orçamentos anuaais projetados para a maioria dos projetos espaciais civis e o calendário para a sua implementação. O FKP-2025 substitui o plano a 10 anos anterior, que abrangeu as actividades espaciais russas 2006-2015.

 

O orçamento espacial final aprovado é uma sombra do seu projecto de proposta de 2,315.3 triliões de rublos ($ 56.4 billiões) que circulou na Primavera de 2014, antes da queda dos preços do petróleo, a anexação da Criméia, e as sanções ocidentais resultantes que levaram a economia russa a entrar em recessão e obrigaram Moscovo a cortar gastos. O próprio facto de que o programa foi aprovado dois meses e meio após o primeiro ano que abrange já tinha começado a evidenciar duras batalhas da indústria espacial russa, que teve que lutar por cada item de linha no documento.

 

Adiados ficam os ambiciosos planos para construir um foguete gigante super-pesado, que permitiria a Rússia pousar seus cosmonautas na Lua até o final de 2020 e começar a construir uma base permanente lá. Mesmo uma proposta relativamente modesta para mudar parcialmente a família Angara, a nova geração de foguetes a partir do querosene para combustível de hidrogênio potente teve de ser adiada ainda mais, potencialmente prejudicando a competitividade russa no tradicional no mercado internacional de serviços de lançamento. 

Polónia e Ucrânia estão a reforçar os laços de espaço em resposta à Rússia

Março 18, 2016

Vera Gomes

Representatives of Poland's and Ukraine's space agencies.  Credit: State Space Agency of Ukraine

Representantes de agências espaciais da Polónia e da Ucrânia.

Créditos imagens: Agência Espacial da Ucrânia

 

O grupo de defesa líder da Polônia - PGZ -  assinou um contrato no início deste mês com a Agência Espacial da Ucrânia para cooperar em projectos relacionados com o espaço. Esse trabalho irá incluir o desenvolvimento de veículo de lançamento e tecnologia de satélite, bem como aplicativos como o sensoriamento remoto por satélite. O chefe da Agência Espacial Polaca disse que a cooperação com o "Podemos-nos tornar concorrentes dignos não só [na Europa], mas também em todo o mundo."

 

Desde a acção militar da Rússia no leste da Ucrânia e da anexação da península ucrania da Criméia pelas tropas russas, Varsóvia e Kiev têm desenvolvido a sua cooperação em diversas áreas incluindo defesa e o espaço.

 

Podem saber mais sobre esta parceria clicando aqui.

A estrela mais brilhante do céu poderá ser russa

Março 10, 2016

Vera Gomes

Illustration of the “Beacon” unfurling from its canister when it reaches orbit. The Mayak Project used the Russian version of Kickstarter called Boomstarter to fund the project. Credit: cosmomayak.ru / Mayak Project

 
Em breve poderemos olhar para cima e ver um satélite mais brilhante do que a estação espacial e até mesmo Vénus a deslizar sobre o céu noturno, caso se o esforço de crowdfunding russo seja concluido com êxito. Uma equipa entusiasta de estudantes de Engenharia Mecânica da Universidade de Moscovo está a usar o Boomstarter, o equivalente russo do Kickstarter, para reunir o dinheiro necessário para construir e lançar um satélite em forma de pirâmide, feita de material altamente reflexivo. O nome do satélite é Mayak, Russo para "Beacon".
 
Até o momento, o projecto recolheu mais de 23.000 dólares, ou 1,7 milhões de rublos. A julgar pelo vídeo, a equipa já construiu o recipiente que iria transportar o satélite (dobrado dentro) e executou um teste de alta altitude usando um balão.
 
Se o financiamento é assegurado, Mayak está programado para ser lançado a bordo de um foguete Soyuz-2 a partir do Cosmódromo de Baikonur, no segundo trimestre deste ano.
 

 

Rússia sonha com o regresso à Lua e quer explorar Marte. Mas não há dinheiro.

Fevereiro 23, 2016

Vera Gomes

 

Rússia sonha com o regresso à Lua e quer explorar Marte. Mas não há dinheiro

 

Depois da epopeia espacial levada a cabo pela União Soviética, que foi pioneira ao enviar o primeiro homem para o espaço e a primeira sonda não tripulada para a Lua, a herdeira Rússia sonha agora explorar Marte e reviver os sucessos do passado. Mas a crise económica tem atrasado e complicado estas aspirações.

 

A década anterior foi verdadeiramente difícil para nós" confessou Lev Zeleni, diretor do Instituto de Investigação Espacial de Moscovo, em declarações à AFP. Apesar de cápsulas Soyuz, contruídas pelos russos, serem as únicas a transportar os tripulantes da Estação Espacial Internacional (ISS), a Rússia sofreu uma série de fracassos nos últimos anos, com a perda de vários satélites e foguetões.

 

O objetivo de chegar a Marte também não teve muito sucesso. Em 2011, o lançamento da sonda espacial Phobos-Grunt, que se traduziu na primeira tentativa russa de exploração interplanetária, após o fracasso, em 1996, da sonda Marte 96, terminou a sua trajetória no oceano Pacífico. Lev Zeleni garante, no entanto, que "o nosso programa entra agora numa nova fase".

 

Os investigadores russos recuperaram o otimismo graças a uma parceria com a Agência Espacial Europeia (ESA). Para março está previsto o lançamento do foguete russo Proton, que vai enviar para o espaço a sonda russo-europeia ExoMars 2016, que contém um pequeno módulo de aterragem, chamado Schiaparelli, para explorar o planeta vermelho. Se tudo correr como previsto, o foguete alcançará a órbita de Marte em outubro. Esta missão vai procurar vestígios de gás metano na atmosfera de Marte, prova de potencial atividade biológica no planeta, explicou Zeleni.

 

Está ainda prevista uma segunda missão, em 2018, que vai enviar para Marte um veículo de exploração. Até lá será desenvolvida uma plataforma de aterragem, construída pelos russos, e que servirá também de laboratório científico. Para a Rússia "é uma grande responsabilidade e para a Europa também", confessou Lev Zeleni, que relembrou ainda que há mais de 40 anos que nenhuma missão russa consegue chegar a Marte, depois das tentativas feitas nos anos 1970. A ambição é recuperar o seu estatuto de potência espacial, como atestam os planos russos de abrir uma base científica na Lua, com a presença regular de astronautas. A construção desta base terá início em 2019, com a missão Luna-25, ou Luna-Glob, que vai explorar o polo sul da Lua.

 

Incertezas financeiras e sanções adiam sonho russo

Apesar dos planos da Rússia, muitos especialistas temem que os projetos possam não evoluir para além da fase de demonstração, já que a Rússia está a atravessar uma grave crise económica devido à queda dos preços do petróleo e às sanções dos países ocidentais.

 

Prova disso é que a Agência Espacial Russa, Roskosmos, apresentou em janeiro o programa para os próximos 10 anos ao governo russo, e este ainda não foi ratificado.

 

A Rússia não tem "solidez financeira para projetos espaciais avançados", admitiu o diretor da Roskosmos, Igor Komarov, que explicou também que as sanções impostas complicam ainda a importação de peças essenciais para a indústria espacial russa. Face a esta situação, a ESA já avisou que a missão russo-europeia de 2018 pode vir a ser adiada.

 

Para explorar Marte, Zeleni acredita que os russos têm de ir além dos seus parceiros europeus, e reativar o diálogo com a agência espacial norte-americana, a NASA. O principal obstáculo pode ser a crise ucraniana, que se arrasta desde 2014 e que elevou a tensão entre Moscovo e Washington.

 

(retirado daqui)

Boas e más notícias

Janeiro 27, 2016

Vera Gomes

 Crédito: arquivo Roscosmos

 

Um novo estudo ofereceu boas e más notícias para o programa espacial da Rússia.
 
A má notícia: o estudo, preparado para a Roscosmos pelo Central Research Institute of Machine Building, descobriu que a Rússia está em terceiro lugar no número de satélites operacionais com 139, atrás da China com 163 e, segundo o estudo, dos Estados Unidos com 542.
 
Mas, há boas (ou nem por isso) notícias! A Rússia é a primeira no espaço noutra categoria: a quantidade de detritos orbitais. A Rússia responde por 6.169 objetos de detritos actualmente rastreados, à frente de 4878 dos EUA e 3.645 da China.
 
"Hoje não estamos na melhor condição", disse o ex-chefe Roscosmos Yuri Koptev. Pois... também acho que não.

Rússia e Europa trabalham em conjunto para chegar à Lua

Outubro 23, 2015

Vera Gomes

A Rússia quer realmente ir à Lua. A Roscosmos, a agência espacial do país, deixou claro que a sua prioridade é explorar a Lua - e não Marte -  com o objectivo final de estabelecer uma base permanente lá. Agora, a Rússia está à procura de parceiros internacionais para ajudar, e a Europa está pronta para responder ao apelo.


A Roscosmos está actualmente a planear a missão Luna 27, uma missão não tripulada para o pólo sul da Lua que irá procurarpor recursos e avaliar se é possível construir uma colónia. De acordo com o correspondente da BBC News e os meios de comunicação estatais russos Russia Today, a Agência Espacial Europeia (ESA) irá fornecer dois componentes-chave para a Luna 27: um avançado sistema de guiamento a laser para desembarque, chamado Piloto, e um laboratório a bordo para analisar as amostras recolhidas pela sonda.

"Actualmente discussões a nível internacional estão em curso para uma ampla cooperação sobre a forma de voltar à Lua", Bérengère Houdou, o chefe do grupo de exploração Lunar da ESA, disse à BBC News. A ESA não respondeu a um email a pedir mais informações sobre o seu envolvimento no projecto. A agência deverá aprovar oficialmente a sua participação na missão no próximo ano, e a sonda poderia ser lançada tão cedo quanto 2020.
 
Podem ler mais sobre o assunto aqui.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Free Delivery on all Books at the Book Depository

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Follow