Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Polónia na ESA

Julho 16, 2012

Vera Gomes

 

 

No passado dia 13 de julho, os Estados Membro da ESA aprovaram por unanimidade a adesão da Polónia à ESA. O Diretor Geral irá agora assinar o Acordo de Adesão com o Ministro da Economia da Polónia, Waldemar Pawlak.
 
A Polónia irá dar início agora ao seu processo interno de ratificação. Terminado este procedimento, a Polónia irá depositar os seus instrumentos de adesão no Governo da República de França, tornando-se no 20º Estado Membro da ESA, participando a partir deste dia como observador do Conselho da ESA.

 

A Polónia tem sido um estado cooperante desde a assinatura do acordo ECS, em Abril de 2007. O Plano para os Estados Cooperantes Europeus (PECS) foi assinado em Abril 2008, em Varsóvia. Mais de 42 projetos PECS estão em aplicação na Polónia, com um orçamento total de €11 milhões.

 

 

ESA quer diminuir o lixo espacial

Julho 11, 2012

Vera Gomes

No filme Gravity, a estrear no próximo ano, George Clooney aparece encalhado em órbita por causa do lixo espacial. A ameaça é verdadeira, com o aumento constante dos detritos. A iniciativa da ESA, Clean Space, está a desenvolver formas de preservar o espaço próximo da Terra e o ambiente terrestre também.
 
Em resposta às preocupações dos europeus, o programa Clean Space também pretende reduzir o impacto ambiental das atividades espaciais humanas, diminuindo o lixo e a poluição em Terra e em órbita.

A indústria está a contribuir para os planos da ESA de desenvolvimento de tecnologias Clean Space. Através de novas ferramentas para avaliar os efeitos ambientais, pela introdução de materiais e técnicas mais amigas do ambiente e de formas de impedir a produção de mais lixo espacial e de baixar o nível de detritos no espaço.  
 

Mr Dordain, ESA Director General
 
Jean-Jacques Dordain, Diretor Geral da ESA

O Director Geral da ESA, Jean-Jacques Dordain, sublinha que a implementação da iniciativa Clean Space é um objetivo prioritário na Agenda de 2015, o programa da Agência que se segue: “ Se estamos convencidos de que a infra-estrutura espacial se irá tornar cada vez mais essencial, então temos a obrigação de passar o ambiente espacial às próximas gerações tal como o encontramos, primitivo.”

“Podemos assim dizer que o Clean Space não é um programa novo, mas em vez disso, uma nova forma de conceber todos os programas da ESA. Gostaria que a ESA se tornasse numa agência modelo, neste aspeto. Sozinhos, não conseguiremos ser bem sucedidos; iremos precisar da colaboração de todos. O setor espacial tem de estar todo connosco.”

O centro técnico da ESA, o ESTEC, em Noordwijk, na Holanda, recebeu o workshop Clean Space em junho, organizado pela ESA e pela Eurospace.
 
 

Clean Space workshop
O workshop Clean Space
 

Terra: limpando os objetos espaciais
 
Na Terra, o Clean Space envolve a avaliação do impacto ambiental de futuros projetos espaciais, tal como a monitorização dos efeitos prováveis da nova legislação sobre a indústria espacial – o campo da legislação ambiental é um campo de rápidas mudanças.

A avaliação do ciclo de vida será importante para o cálculo dos efeitos ambientais das tecnologias espaciais, do desenho inicial e manufatura ao fim de vida.

No workshop, a consultora ambiental, BIO Intelligence Services, descreveu a vasta aplicação de avaliação do ciclo de vida noutros setores industriais.
 
 

 
Exemplo de manufatura aditiva

Regra geral, o respeito pelo ambiente vai de mãos dadas com a eficiência – oferecendo à indústria uma vantagem competitiva.

Novos processos de fabrico, tais como a ‘manufatura aditiva’, em que as estruturas são construídas em camadas, ou a ‘soldadura por fricção’, em que a solda acontece a temperaturas mais baixas, necessitam de menos energia e de menos material, para melhores resultados.

Reduzir a necessidade da eliminação de ruídos, um processo normalmente muito caro, é outro caso em que só há vantagens: o construtor de foguetes, Safran, está a trabalhar num método biológico de diminuir o lixo tóxico do combustível sólido.
 
 

Sources of space debris - energy sources
Um satélite a explodir
 

Espaço: mais limpo quer dizer mais seguro
 
No filme Gravity, a órbita baixa terrestre é uma nuvem de detritos letais.

Na vida real, dos 6000 satélites lançados durante a Era Espacial, menos de 1000 permanecem operacionais. O resto está abandonado e com tendência a fragmentar-se pela explosão das baterias ou do combustível que sobra.

A uma velocidade de 7.5 km/s ou mais, até um parafuso com 2 cm tem um diâmetro suficiente para destruir um satélite. 
 
 
No workshop foram discutidas várias formas de minimizar a futura produção de detritos espaciais, tais como amarras ou velas para ajudar a rebocar satélites abandonados na órbita baixa, dentro dos próximos 25 anos.

A reentrada dos satélites também precisa de ser um processo mais seguro – por vezes acontece que bocados de satélites atingem o solo intactos. Está a ser pensado um novo design para o fim de vida, de forma a prevenir isto mesmo.

BuMas mesmo que os lançamentos espaciais parassem amanhã, as simulações mostram que os níveis de lixo espacial continuariam a aumentar. A remoção ativa é necessária, incluindo as missões robóticas para reparar e tirar os satélites da órbita.

Para mais informações, visite o novo website da ESA Clean Space.

 

 

Recomenda-se a leitura de....

Julho 09, 2012

Vera Gomes

 

 

"The North Korean Nuclear Program: Security, Strategy and New Perspectives from Russia " é um livro de James Clay Moltz e Alexandre Y. Masourov (editores) e está à venda na Amazon pelo "simpático" preço de cerca 47 doláres. Contudo é interessante por nos dar uma perspectiva da questão Norte-Coreana de um outro ponto de vista que não o habitual: o ponto de vista da Rússia. É um livro interessante para se conhecer um pouco melhor o programa nuclear norte-coreano assim como o seu enquadramento no contexto internacional e as suas implicações no futuro.

China: cooperação ou competição?

Julho 06, 2012

Vera Gomes

Achei curiosas as declarações de Wang Zhaoyao, director das missões tripuladas na passada sexta-feira, a propósito da bem sucessida missão de acoplagem manual que já foi referida no Astropolítica, ao afirmar que a China não está a competir com outros países.

 

De acordo com o plano espacial chinês, o segundo objectivo estratégico inclui dominar 3 tecnologias básicas de voos espaciais tripulados e construção de um laboratório espacial. A realização deste objectivo está prevista para 2020.

 

Wang afirmou nessa mesma conferência de imprensa, que a China domina neste momento as três tecnologias - a tecnologia de transportar seres humanos entre o Espaço e a Terra, actividade tecnológica extraveicular e tecnologia de acoplagem. "Nas próximas missões para construção de um laboratório espacial e de uma estação espacial, nós estamos abertos a cooperação técnica com outros países e regiões" afirmou Wang.

 

Considerando que a China nunca foi convidada a integrar a Estação Espacial Internacional, será que este repto por cooperação é sincero? Pessoalmente, creio que não. Isto porque a China tem utilizado a sua tecnologia espacial como moeda de troca para servir outros interesses, por exemplo, o lançamento de satélites em nome de outros países em troca de petróleo.

 

 

Portugal no Espaço

Julho 03, 2012

Vera Gomes

Em 2006 apresentei no International Astronautical Congress um artigo intitulado "portugal in space" (que na barra de links poderão encontrá-lo).

Agora, passado 6 anos faz parte de uma colectânea de artigos apresentados nesse mesmo congresso!

 

 

 

 

 Poderão adquiri-lo aqui.

Sector privado no espaço

Julho 03, 2012

Vera Gomes

A 25 de maio de 2012, a primeira aeronave comercial entregou carga na Estação Espacial Internacional.
Muitos desafios há que superar até esta oportunidade comercial se expandir e as empresas privadas começarem a ter lucro oferecendo um transporte seguro e menos dispendioso.

 

Vale a pena ver o vídeo da reportagem aqui onde levantam uma série de questões sobre a potencial presença de privados no espaço em áreas que até agora permaneceram nas mãos de alguns.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Free Delivery on all Books at the Book Depository

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Follow