Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Os astronautas que viajem a Marte, serão proibidos de regressar à Terra caso estejam doentes?

Outubro 08, 2013

Vera Gomes

 

 

Levar astronautas até marte tem sido algo bastante debatido nos últimos meses. Mas... e trazê-los de volta? Isto sim, parece ser ainda mais complicado, especialmente se os exploradores do Planeta Vermelho adoecerem no regresso a casa. A verdade é que os Astronautas podem ser infectados em Marte e dessa forma, o Mundo poderá ser relutancte em trazê-los de volta  com receio que infectem a população terrestre com o que quer que seja que possam ter contraído.

 

A NASA está já a ponderar numa possível solução para esta preocupação. O objectivo é monitorizar a saúde dos astronautas de forma bastante meticulosa durante todas as fases das missões a Marte e outras missões ao espaço profundo, afirmou Cassie Conley, técnica da NASA.

 

 

Podem ler mais sobre este tópico, aqui.

 

 

Estónia a caminho do clube espacial

Outubro 07, 2013

Vera Gomes

 

 

 

 

Um estudo recente do Ministro da Economia e Indústria da Estónia concluiu que a Estónia poderá significativamente beneficiar da participação nos programas europeus de Investigaçao & Desenvolvimento, como o Galileo e o Copernicus e que desenvolvem tecnologias espaciais.

 

O Ministro da Economia comentou que os dados de satélite são largamente usados tanto pelo sector público como pelo sector privado em diversos Estados Membros e que a Estónia deverá encontrar o seu caminho para o desenvolvimento de serviços e empreendorismo relacionado com os programas espaciais europeus.

 

Hillary Tork, um oficial sénior da Direcção Geral de Empresa e Indústria da Comissão Europeia acrescentou que a adesão à ESA poderá trazer à Estónia novos postos de trabalho, sobretudo na área de desenvolvimento e serviços de alta-tecnologia; os sistemas de navegação por satélite são activos estratégicos que não só estimulam a economia como também se revestem de especial imporancia para a segurança nacional.

 

 

 

BRICS e a construção de China e Índia: A fazer uma nova ordem mundial?

Outubro 07, 2013

Vera Gomes

 


Escrita por Jagannath P. Panda esta monografia "BRICS e a construção de China e Índia: A fazer uma nova ordem mundial?" pretende compreender e contribuir para as análises estratégicas da política externa, de segurança e questões de política económica que estão ligadas à ascensão dos BRICS. Esta monografia não é apenas um estudo sobre BRICS em si, mas é também sobre a China e a Índia, as duas potências mais vitais deste grupo.


Este estudo foi escrito no contexto indiano e tem tentado aprofundar o curso de China e Índia dentro dos BRICS. Em resumo, esta monografia explora a ascensão dos BRICS no contexto das potências emergentes ou diálogo do mundo em desenvolvimento, particularmente da China e da Índia, ao contextualizar a complexidade de configurações mútuas destes dois países. Se os BRICS podem produzir qualquer resultado construtivo a favor do Sul dependerá fortemente da conduta racional e política externa destes dois eminentes países vizinhos da Ásia.


Na minha opinião, esta dinâmica entre os BRICS, China e India, ajuda a compreender um pouco melhor a impotância que o Espaço assume para estes países e para as suas relações. A análise da política espacial não pode, nem deve ser feita de forma isolada e estanque, mas sim como parte de um todo das dinâmicas das nações.


Podem fazer o download gratuito desta monografia aqui.




Nota: os países que fazem parte dos BRICS, são: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Esta expressão é utilizada para designar este grupo de países como mercados emergentes.



A estratégia espacial da Rússia

Outubro 04, 2013

Vera Gomes

 

 

 

Nos últimos anos, a indústria espacial russa tem sido condenada por uma série de lançamentos falhados e outros problemas relacionados com tecnologia obsoleta e deficientes controlos de qualidade. Apesar disto, a Rússia tem emergido como líder mundial em lançamentos, contabilizandoq quase metade dos lançamentos. Acresce ainda que tem realizado missões tripuladas da NASA para a Estação Espacial Internacional. Contudo, o crescimento contínuo da indústria espacial americana ameaça o domínio russo, forçando Moscovo a dar os primeiros passos para reformar a indústria espacial (já referi isto aqui.).

 

A Stratfor tornou público e de acesso gratuito um relatório sobre o futuro da estratégia espacial russa, a que poderão ter acesso aqui. Basta inserir o email e receberão o relatório. 

 

Semana do Espaço 2013: "Explorando Marte, Descobrindo a Terra"

Outubro 04, 2013

Vera Gomes

 

 

 

 

 

Começa hoje a Semana Mundial do Espaço 2013 com o tema "Explorando Marte, Descobrindo a Terra" e decorre até dias 10 de Outubro. Todos os anos nesta semana, o Mundo celebra a ciência e a tecnologia. A Assembleia Geral da ONU decidiu em 1999 que a Semana Mundial do Espaço iria decorrer todos os anos de 4 a 10 de Outubro. Estas datas comemoram dois eventos:

 

* 4 Outubro 1957: Lançamento do primeiro satélite artificial: Sputnik 1

* 10 Outubro 1967: A assinatura do Tratado de Principios de Reguladores das Actividades dos Estados na Exploração Espacial e de Uso Pacífico do Espaço Exterior, incluindo a Lua e os Outros Corpos Celestiais.

 

 

Podem saber mais sobre este evento, aqui.

 

"Vergonha perante a Europa!"

Outubro 03, 2013

Vera Gomes

 

 

Foi assim que a administração da Academia de Ciências da Letónia se dirigiu na reunião do Comité da Ciência e Cultura do Parlamento Letão, para caracterizar a situação com a ESA (Agência Espacial Europeia).

 

Em Março último, o então Ministro da Ciência e Educação, Roberts Kilis, assinou o Acordo de Cooperação com a ESA, que proporciona uma opotunidade única de desenvolvimento à ciência, investigação e indústria de se envolver em projectos da ESA, incluido alguns projectos tecnógicos espaciais.  Para isso acontecer, a Letónia deveria fazer um pagamento inicial de 900 000 LVL (cerca de 1 280 627,17€) em 2014. Mas o orçamento do próximo ano para ciência e educação não prevê o pagamento desta quantia. Caso falhe o pagamento, as consequências irão sentir-se em 2015, altura em que a Letónia assume a Presidência da Uniao Europeia e terá que liderar o Grupo de Trabalho dedicado ao Espaço (Space Workgroup), onde a ESA é o parceiro principal da Comissão Europeia.

 

 

 

 

 

 


A estratégia espacial dos EUA

Outubro 03, 2013

Vera Gomes

 

 

 

 

Para os EUA, o desenvolvimento da industria espacial é a chave para mais exploraçãoespacial e tecnologia ao longo do século. A NASA está a incentivar o desenvolvimento de voos espacial privados ao colocar uma série de metas para estas companhias enquanto as financia e eventualmente as premeia com contractos. O programa de incentivo americano é particularmente focado no melhoramento dos sistemas de foguetões da industria espacial privada, que poderá dar-lhes a capacidade de levar mais carga até órbita e também torná-los suficientemente seguros para transportar tripulações a bordo. Em última instância, os EUA almejam que a competição entre as empresas reduza substancialmente os custos dos voos espaciais. 

 

A Stratfor tornou público e de acesso gratuito um relatório sobre o futuro da estratégia espacial russa, a que poderão ter acesso aqui. Basta inserir o email e receberão o relatório. 

Governo americano.... fechou!

Outubro 02, 2013

Vera Gomes

 

 

Ontem foi noticia em toda a imprensa que o Governo Federal americano fechou porque não tem dinheiro para assegurar a continuidade dos serviços. Tudo porque no Congresso houve bloqueio por parte dos Republicanos ao orçamento proposto. E assim se parou um País.

 

Segundo o Público "Os serviços federais considerados não essenciais foram, esta terça-feira, fechados, como resultado da não aprovação do orçamento para o ano financeiro de 2013/2014. Cerca de 800 mil funcionários ficaram em casa sem vencimento, à espera que os seus serviços voltem a abrir. Entre os serviços fechados estão os museus, parques nacionais e serviços de finanças."

 

No AstroPT, num dos artigos escritos pelo Carlos Oliveira que podem ler aqui,e nos comentários ao mesmo, está bem explicado como é possível isto acontecer....

 

Agora resta esperar pela resolução do impasse e avaliar as consequências certamente nefastas que esta paragem trará a toda a economia americana, assim como aos projectos espaciais e ainda à reputação americana no Mundo.

Qual é a diferença legal entre os 5 tratados internacionais e os princípios elaborados sob os auspícios da ONU?

Outubro 02, 2013

Vera Gomes

Direito Espacial
Após a sua adopção na Assembleia Geral, os cinco tratados internacionaais que governam o espaço exterior são abertos para assinatura e ratificação dos Estados Membros. De acordo com o Direito Internacional, as suas disposições são vinculativas para os Estados Membros que os ratificaram. Acresce ainda que os tratados são articulados de acordo com os principios relacionados com a exploração e o uso do espaço.
Os Estados que não ratificaram os tratados internacionais podem igualmente guiar-se pelos principios estabelecidos. Os principios têm o estatuto de Resoluções da Assembleia Geral da ONU.  Estas fornecem principios, regras e normas pelos quais os Estados podem gerir as suas actividades espaciais mas ao contrário dos Estados que ratificaram os tratados internacionais, não são vinculativos. Ou seja, cabe a cada Estado decidir se irá seguir a resolução/ principios aprovados na Assembleia Geral.

Indústria espacial espanhola cresceu 2% apesar da crise

Outubro 01, 2013

Vera Gomes

 

 

 

A indústria espacial espanhola cresceu 2% durante o ano 2012 e facturou 736 milhões de euros. Estes números foram apresentados ontem pela comissão de empresas da área do espaço (Proespacio) da Associação Espanhola de Empresas Tecnoclógicas da Defesa, Aeronáutica e Espaço (TEDAE) que recolheu os dados de actividade das principais empresas espanholas do sector espacial durante o ano 2012.

 

António Cuadrado, delegado da Comissção Proespaço, explicou que este crescimento se deve aos bons resultados obtidos pelos operadores espanhóis de satélites e não tanto à actividade indústrial propriamente dita.

 

Podem ler mais sobre esta noticia no site da TEDAE e aqui.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Free Delivery on all Books at the Book Depository

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Follow