Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Astropolítica

"Se se pudessem interrogar as estrelas perguntar-lhes-ia se as maçam mais os astrónomos ou os poetas." Pitigrilli

Pacto espacial Franco-Indiano

Abril 07, 2015

Vera Gomes

 

A Índia e a França estão a planear um pacto para a exploração interplanetária conjunta quando Narendra Modi visitar Paris na próxima sexta-feira, sendo este um marco na incursão de Nova Deli ao espaço depois da Lua (com a missão Chandrayaan 1 e 2) e depois da missão Mars Orbiter a Marte.

O acordo será um resultado diplomático chave da viagem do Primeiro Ministroa França, numa altura em que, para ele, a cooperação espacial se tornou numa prioridade da política externa, afirmaram dois funcionários Indianos ao The Telegraph.

 

Um oficial do da Embaixa francesa recusou-se a comentar o assunto.

 

Resta-nos esperar por sexta feira para ter a certeza se de facto esta parceria irá ocorrer ou não. Até lá e para lerem mais sobre a visita do Primeiro Ministro indiano a França, basta clicar aqui.

 

Uma estação espacial dos BRICS?

Fevereiro 04, 2015

Vera Gomes

 

 

No próximo encontro dos países BRICS a ter lugar em Julho na cidade Russa de Ufa, poderá ser proposto pela Rússia a criação de uma estação espacial que envolva as economias emergentes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

 

Um documento elaborado por especialistas Russos da área militar e industrial recomenda que se leve a cabo os esforços necessários para estabelecer as possibilidades de um projecto de cooperação internacional com os países BRICS (Brazil, Russia, India, China, South Africa), como parte de uma estratégia comum de criação de alianças tecnológicas.

 

De forma particular, a Rússia deverá fazer tal proposta à Índia e à China, que têm programas espacial tripulados em desenvolvimento.

 

Outras áreas nos quais de podem estabelecer programas de cooperação abrangem o desenvolvimento de foguetões modulares utilizando metano como combustível e também a criação de um veículo aeroespacial que poderia ser utilizado para o desenvolvimento de um caça ou bombardeiro de sexta geração.

 

(retirado daqui)

Porque que é que a Índia é importante para o mercado de sistemas espaciais militares?

Outubro 28, 2014

Vera Gomes

 

De acordo com o relatório de 2014 do Stockholm International Peace Research Institute, a Índia foi responsável por 14 por cento das importações de armas do mundo de 2009 até 2013, mais do que qualquer outra nação.

 

A tendência vai continuar nas próximas décadas, uma vez que a Índia continua o seu esforço de modernização num meio ambiente conturbado e violento, tanto a nível doméstico como com a sua vizinhança. Convém lembrar que nao se prevê melhorias significativas no cenário de segurança num futuro próximo, a indústria de armas da Índia ainda está a amadurecer,  e espera-se que a economia da Índia continue a crescer com taxas de crescimento do produto interno bruto acima da média global.

 

Em poucas palavras, o aumento das necessidades de segurança da Índia continuarão a ser apoiadas por uma economia em crescimento e o vórtice da economia do mercado de defesa continuará a ser a Índia. A probabilidade de Modi e Obama estenderem o acordo de cooperação de defesa dos EUA-Índia até 2025 é, portanto, bastante impressionante.

 

Além da área militar, o espaço também afecta outros aspectos de segurança, como as forças policiais, intelligence e controlo de narcóticos, os quais abundam na Índia. É por isso que todos aspiram a usar espaço para fins variadas. Por exemplo, satélites de observação permitem a identificação precisa das plantações de cocaína até mesmo quando estão localizadas em zonas florestais densas, tornando o trabalho de interdição muito mais fácil. Para colocar a sua demanda potencial em perspectiva, a Índia tem um exército permanente de mais de 1,5 milhões de euros, mais de 1,5 milhões em forças paramilitares, e um número ainda maior de polícia, os quais cobiçam as capacidades espaciais. Toda a modernizaçao da área de segurança gravita em torno do espaço. E convém lembrar que a aquisição e integração de capacidades espaciais é uma questão que envolve muito dinheiro.

 

A deficiência da Índia encontra-se no seu programa espacial, que tem origens civis e, ao contrário da maioria das outras grandes nações do clube espacial, está focado apenas em usos civis. Assim, as capacidades espaciais da Índia estão severamente limitadas para aplicações de segurança. O vácuo militar é evidenciado no facto de que embora a Índia tenha constelações de satélites de comunicação e de observação, tem apenas um satélite militar dedicado. Aparentemente, a utilização civil do espaço por milhões da Índia deixa poucos recursos para aplicações de segurança. A mudança de foco do desenvolvimento civil para fins militares não é prudente, nem acessível e, portanto, não é provável. Pelo menos nao é esperado num futuro próximo. Por outro lado, os EUA são o líder mundial em capacidades espaciais, tanto de natureza civil como militar. No domínio civil, um Grupo de Trabalho Conjunto EUA-Índia, formado em 2004, trabalha sobre a cooperação espacial civil e a aquisição de capacidades civis; no entanto, não existe um grupo de trabalho semelhante para produtos de defesa.

 

A Índia decidiu avançar com 19 projectos do setor de defesa em Setembro e que estavam pendentes há vários anos. Negócios na área da defesa ascendem a 6 bilhões de dólares foram também iniciados nos últimos três meses. Novas perspectivas se abriram. A oportunidade também não é passageira: é suposto durar décadas. O potencial existe, os chefes das nações concordam, o pacto de defesa apresenta uma oportunidade e não existe, qualquer razão para uma das partes não para explorar o sentido e sensibilidade da oportunidade.

 

Podem ler mais sobre este tópico, aqui.

Indianos continuam a dar cartas no Espaço

Outubro 06, 2014

Vera Gomes

 

 

 
Como parte das aspirações da India em construir um sistema de navegação por satélite regional equivalente ao GPS americano, a agência espacial indiana - ISRO - intende enviar sete séries de satélites para colocar em funcionamento o IRNSS (Indian Regional Navigation Satellite System). O próximo lançamento irá ocorrer no próximo dia 10 de Outubro.
 
Podem ler mais sobre este tópico aqui e aqui.

Estados Unidos e India colaboram na Terra e em Marte

Outubro 01, 2014

Vera Gomes

 

http://www.nasa.gov/sites/default/files/toronto2_2_0.jpg

 

 

 

Numa reunião na passada Terça-feira em Toronto, à margem do International Astronautical Congress (IAC), o administrador da Nasa, Charles Bolden e K. Radhakrishnan, presidente da Organização de Pesquisa Espacial da Índia (ISRO), assinaram dois documentos para lançar uma missão de satélite da NASA-ISRO para observar a Terra e estabelecer um caminho para futuras missões conjuntas para explorar Marte.

 

Os dois líderes das respectivas agências espaciais reuniram-se para discutir e assinar uma carta que estabelece um Grupo de Trabalho Marte NASA-ISRO para investigar o reforço da cooperação entre os dois países na exploração de Marte. Também assinaram um acordo internacional que define como as duas agências irão trabalhar juntas na missão NASA-ISRO Radar de Abertura Sintética (Nisar), cujo lançamento está previsto para 2020.

 

Podem ler o comunicado oficial da NASA sobre este assunto aqui.

Estas mulheres ajudaram a Índia a chegar a Marte

Setembro 26, 2014

Vera Gomes

 

India-ISRO-Mars-Women

 

 

 

 

 

 

As caras do programa espacial da Índia têm sido sempre masculinas.

Os sete presidentes, incluindo o actual, da Organização de Pesquisa Espacial Indiana (ISRO) têm sido homens, e são tipicamente cientistas do sexo masculino que se fazem frente aos jornalistas nas conferências de imprensa que o ISRO realiza depois de lançamentos de satélites.

Mas há uma parte essencial composta por mulheres, que trabalham em vários sectores do programa espacial da Índia, que representam cerca de 20% da força de trabalho total da ISRO, que tem na totalidade 14.246 funcionários. Cerca de 10% do quadro total, ou 1.654, são mulheres engenheiras.

 

Embora menor do que outros programas - na NASA, por exemplo, cerca de 20% de todos os engenheiros são mulheres - as cientistas espaciais indianas ganharam notoriedade nos últimos anos.
(retirado daqui)

Missão indiana a Marte mais barata que o Gravity

Setembro 25, 2014

Vera Gomes

 

 

 

 

 

A missão a Marte da Índia foi mais barata do que o filme Gravidade: custou apenas 74.000 mil dólares americanos para enviar a nave Mangalyaan a Marte, enquanto para mostrar Sandra Bullock em órbita da Terra custou US$100 milhões .

 

O desenvolvimento marca uma vitória para a Índia sobre a China no que alguns têm chamado de corrida espacial asiática. Elogiando os cientistas ISRO, o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi disse que eles têm "o hábito de realizar o impossível."

 

Aqui ficam alguns factos sobre esta missão indiana:

 

74.000 mil dólares: é o montante a Índia gastou no seu programa de Marte. Modi descreveu na perfeição o projecto quando disse que pôr a Sandra Bullock em órbita custou mais do que fazer a missão indiana a Marte. A missão Maven, da NASA, reconhecidamente mais complexa, custou $ 671.000.000. O Mars Express Orbiter, missão da Agência Espacial Europeia, custou $386.000.000. A missão falhada a Marte do Japão custou 189.000 mil dólares.

 

324 dias: O tempo que a Índia levou para completar a sua missão a Marte. O programa foi lançado a 5 de Novembro de 2013 e após 10 meses, Mangalyaan foi finalmente colocada na órbita marciana a 24 de Setembro. A NASA demorou 308 dias para colocar a sua nave na órbita do planeta vermelho.

 

51 missões a Marte: É o número total de missões a Marte até agora empreendidas. Para além da Índia, apenas EUA, Rússia e Europa conseguiram colocar os seus satélites ao redor da órbita marciana.

 

1.200 milhões dólaresé o que a Índia gasta no seu programa espacial a cada ano.

 

18.092: Número de tweets que foram enviados numa hora com #Mangalyaan - actualmente tendênciano twitter na Índia. Ao longo dos últimos sete dias, um total de 57.007 tweets foram postados com esta hashtag.

 

 

Mais informações sobre esta missão indiana aqui, aqui e aqui.

India usa espaço para cooperaçao com vizinhos

Setembro 04, 2014

Vera Gomes

 

 

 

 

 

Primeiro-Ministro indiano Narendra Modi realizou uma visita oficial de dois dias ao Nepal de 2 a 3 de Agosto. Surpreendentemente, nenhum primeiro-ministro indiano tinha visitado o Nepal, com quem partilha mais de 1.700 quilómetros de fronteiras, nos últimos 17 anos.

 

Modi articulou sua a visão de relacionamento Indo-Nepal com quatro "c": cooperação, conectividade, cultura e constituição. Como parte da sua visão, ele também falou sobre o desenvolvimento de um satélite para ajudar os vizinhos da Índia. Naturalmente, Modi está a piscar o olho à tecnologia tecnologia de satélite como uma ferramenta para a cooperação e connectividade.

 

Podem ler o artigo na totalidade (em inglês) aqui.

India mais próxima de ter o seu próprio "GPS"

Abril 01, 2014

Vera Gomes

 

(Crédito: India Strategic)

 

 

 

 

A Índia deverá ter o seu próprio sistema de navegação por satélite, com o lançamento de mais três satélites antes do final deste ano, disse ontem o chefe da agência espacial.

Presidente K.Radhakrishnan da "Indian Space Research Organisational"(ISRO disse que o INSAT-3E está desativado há alguns dias e os utilizadores estão a ser migrados para outros satélites.

"Nós receberemos os sinais do nosso sistema de navegação por satélite até o final deste ano. Nós iremos lançar mais três satélites de navegação antes do final deste ano ", disse Radhakrishnan por telefone a partir de Bangalore.

 

Para saberem mais sobre este assunto, podem clicar aqui e aqui.

Orçamento indiano para 2015

Março 20, 2014

Vera Gomes

 

 

 

 

 

 

O orçamento Interino da Índia para 2014-15 apresentado no parlamento foi apresentado em meados de Fevereiro de 2014.

Agora, com as eleições parlamentares a serem anunciadas para ocorrerem em Abril / Maio de 2014, espera-se que este orçamento provisório, seja finalizado nos próximos meses.

 

No entanto, para qualquer governo no poder, havia necessidade de manter a continuidade com as principais políticas e, partindo dessa perspectiva, nenhuma troca radical deverá ser feita pelas novas disposições do orçamento do governo.

 

Na Índia, parece haver uma ampla aceitação política entre as várias partes sobre as políticas de ciência e tecnologia em geral. Assim, espera-se que nenhuma grande troca nas disposições orçamentais neste campo aconteça quando o novo governo chega ao poder em Maio de 2014.

 

Podem le rmais sobre este assunto e as implicações para o programa espacial indiano aqui.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Free Delivery on all Books at the Book Depository

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Follow